Só por hoje confio… no que? Em quem? Qual a importância de confiar, para que este seja o segundo dos cinco princípios de Reiki? Quando o Mestre Usui escreveu os gainen (preceitos), colocou as bases para que um praticante do Usui Reiki Ryoho atingisse a felicidade, a paz duradoura, a iluminação (satori).

Kyo dake wa, Shinpai suna 心配すな – Só por hoje, confio

A confiança vem do nosso coração, é por isso que quando nos sentimos magoados na integridade, na confiança, no amor, sentimos dor no coração. É através deste centro que a confiança se demonstra mas ela tem também origem noutros centros energéticos como o plexo solar, a base do nosso poder pessoal.

Shinpai suna – Confio, na prática de Reiki

Confiar traz-nos sempre uma profunda reflexão, na prática de reiki:

  • Confio na minha ligação com a energia?
  • Confio que sou capaz de realizar o autotratamento com a capacidade suficiente para me equilibrar?
  • Confio que sou capaz de veicular a energia para que os outros a recebam?
  • Conheço os meus limites?
  • Tenho mais tendência a fazer Reiki aos outros que a mim mesmo?
  • Acredito em mim como o Ser incrível que sou?
  • Acredito verdadeiramente no percurso que estou a fazer com o Reiki?

Confiar traz-nos um grande poder pessoal e uma liberdade incrível. Confiar é compreender o tecido do universo e a forma como ele se desenrola, o nosso papel, o papel do Reiki e o papel dos outros nele. Com a calma, em harmonia, conseguimos encontrar o espaço em nós suficiente para sabermos confiar, primeiro em nós e nas nossas capacidades, no nosso amor e assim, depois, confiarmos nos outros e no que eles nos têm para dar e para receber. O Reiki toca-nos interiormente e faz de nós seres despertos e cada vez mais conscientes, se soubermos confiar.

Shinpai suna – Confio no dia-a-dia

Os cinco princípios de Reiki pedem-nos uma prática humanista, constante, diária. Para isso, temos que confiar na nossa prática. Se queremos desenvolver a arte de praticar Reiki, temos que ser constantes, atentos, confiando na energia, em nós mesmos e nas nossas sensações. A partir daqui, todo um caminho se abre e com ele chegamos à felicidade, compreendendo e aceitando a vida e as suas lições.