O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Reiki para a fibromialgia

Quem sofre de fibromialgia não só sofre com as dores mas também com toda a perda de qualidade de vida daí resultante. A fibromialgia é tipicamente caracterizada por dores musculares difusas, fadiga, distúrbios de sono, rigidez matinal, entre outros. O Reiki, enquanto terapia complementar, pode ter uma resposta integrativa para o restabelecimento da saúde no caso da fibromialgia.

Reiki para a fibromialgia

A dor é uma experiência multidimensional desagradável. Ela abrange todos os corpos da pessoa, todas as suas dimensões. O físico influencia o emocional, que transborda ao mental, que se reflecte no espiritual e energético. Todo o sistema homeostásico da pessoa entra em dor, em desequilíbrio. Aí o Reiki para a fibromialgia pode ser encarado como uma prática complementar e integrativa, não só para o alívio da dor como também para a melhoria da qualidade de vida e sentimento de bem-estar interior e exterior. Reiki trabalha em todo o universo que é um ser.

O campo de acção do Reiki

Reiki é energia, vital e universal, que traz à pessoa uma reintegração com todo o seu ser, um equilíbrio entre o corpo e a mente, plenitude de energia. O Reiki não é uma cura para a fibromialgia, esta prática não oferece nem promete curas mas sim um percurso terapêutico que muito dependerá da pessoa e também da própria capacidade do terapeuta pois nestes casos não basta colocar as mãos.

O primeiro passo será uma avaliação holística da pessoa e uma avaliação energética pois é esse o campo de acção do Reiki.

Uma escala de dor pode ajudar a pessoa a compreender como está antes e depois da sessão.

Uma escala de dor pode ajudar a pessoa a compreender como está antes e depois da sessão.

Reiki para a fibromialgia significa uma acção energética para o que está em défice e em excesso, para que se possa compreender o que há a equilibrar. O Terapeuta terá uma atenção redobrada para encontrar as zonas que necessitam de energia ou para harmonizar zonas que possam estar em desequilíbrio. A esta técnica, chamamos de Byosen, que em japonês significa encontrar os pontos em doença.

A anamnese será também muito importante pois permitirá compreender o percurso da pessoa, o seu estado actual e o que pretende atingir, além de compreender as situações que poderão estar por detrás desta situações e que, através do Reiki poderemos também auxiliar a atingir o equilíbrio.

Não podemos esquecer que não é o Reiki que cura mas sim o próprio corpo da pessoa que o faz. A energia apenas proporciona o necessário para que todas as acções/reacções aconteçam para a homeostase. Também não podemos esquecer algumas questões que possam ser psicossomáticas. Neste tipo de tratamento de Reiki, o Terapeuta tem que ter uma acção muito consciente

Posições num tratamento de Reiki para a fibromialgia

Cada caso é um caso por isso, o trabalho feito pelo terapeuta com o byosen é muito importante. Aqui estão apenas representadas alguns pontos extra que devem ser tidos em conta e poderão auxiliar no fluxo energético e bem estar da pessoa.

Podemos pensar na dor como um fecho do fluxo de energia e um acumular que provoca dor ou abatimento. A intenção será a de retomar o fluxo energético e aliviar a dor, trazendo harmonia ao corpo e mente. As articulações devem ser trabalhadas para que o acúmulo de energia se desvaneça e uma verificação do fluxo energético deve ser feito. A energia deve fluir para cima e para baixo, sem “represas”.

O excesso de pensamentos pode também ser significativo e indicações de depressões anteriores ou presentes devem ser também tidas em conta. Como está no momento a pessoa, emocionalmente?

Façam um tratamento completo, frente e costas, reforcem o tratamento nos pontos violeta e apliquem nos pontos extra a verde.

Reiki para a fibromialgia, um tratamento complementar, para o corpo e mente.

Reiki para a fibromialgia, um tratamento complementar, para o corpo e mente.

Autotratamento Reiki para a fibromialgia

Se a pessoa com fibromialgia aprender Reiki, poderá ser uma mais valia para a sua saúde. Se bem que neste caso deve também ter acompanhamento feito por um terapeuta de Reiki. Além do autotratamento, pode também contemplar estas posições extra, sugeridas.

Estudos académicos sobre Reiki para a fibromialgia

Em 2008 foi publicado um trabalho no “THE JOURNAL OF ALTERNATIVE AND COMPLEMENTARY MEDICINE” intitulado “Reiki for the Treatment of Fibromyalgia: A Randomized Controlled Trial” de Nassim Assefi, M.D.,Andy Bogart, M.S.,Jack Goldberg, Ph.D. and Dedra Buchwald, M.D. no sumário desta publicação podemos ler:

Objetivo: A fibromialgia é uma condição de dor cronica onde os pacientes procuram terapias complementares frequentemente para o seu tratamento. O nosso objetivo foi determinar se o Reiki é benéfico como um tratamento adjuvante da fibromialgia.
Projeto: Este foi um projecto factorial, randomizado, controlado com placebo em que os participantes, analistas e outros desconheciam o grupo de tratamento.
Definição / localização: O cenário do estudo encontrou-se em consultórios médicos privados em Seattle e Washington.
Sujeitos: Os sujeitos foram constituídos por 100 adultos com fibromialgia.
Intervenção: Quatro (4) grupos receberam tratamento duas vezes por semana, durante 8 semanas ou por um mestre de Reiki ou actor randomizados para usar o toque directo ou nenhum contacto (terapia distante).
As medidas adotadas: O resultado primário foi a dor subjetiva medida pela escala analógica visual nas semanas 4,
8 e 20 (3 meses após término do tratamento). Os resultadoss secundários foramo  funcionamento físico e mental,
medicação e visitas de profissionais de saúde. Os efeitos adversos dos participantes foram verificados por autorelatório.  Melhoria entre os grupos foi analisada numa análise de intenção de tratamento.
Resultados: Nem Reiki nem toque tiveram qualquer efeito sobre a dor ou qualquer um dos desfechos secundários. Todas as medidas dos resultados eram praticamente idênticos entre os quatro grupos de tratamento durante o decurso do ensaio.
Conclusão: Nem Reiki nem toque melhorou os sintomas da fibromialgia. As modalidades da medicina energética devem ser rigorosamente estudadas antes de serem recomendadas a pacientes com sintomas de dor crónica.

Considerações sobre este estudo

Este estudo foi realizado com Mestres de Reiki com uma experiência entre 5 e 18 anos, nos estados unidos e quatro “actores” sem qualquer tipo de conhecimento sobre energia ou toque terapêutico. Foi feito um esforço para que cada pessoa tivesse sempre o mesmo facilitador, durante as oito semanas do  estudo.

Este estudo consistiu em tratamentos duas vezes por semana, durante oito semanas, tendo em conta o que o NCCAM recomenda para sessões de terapia Reiki e a sugestão das Mestres de Reiki.

O tratamento foi realizado durante 30 minutos, dois minutos em cada uma das 12 posições base.

Tratar uma pessoa com fibromialgia, através do Reiki, numa perspectiva enérgica, não pode ser feito com medidas de tempo ou posições fixas. 30 minutos pode ser claramente insuficiente para o caso da pessoa, enquanto que para outros possa ser suficiente. As 12 posições base estão erradas como pressuposto que se forem feitas então estarão a cumprir o que é suposto o Reiki fazer. Dedicar 2 minutos a cada posição é totalmente absurdo e insuficiente. Naturalmente esta prática pode repetir-se duas vezes por semana que possivelmente nenhum resultado significativo é obtido.

A prática de Reiki não pode ser nem é mecânica. Depende da pessoa, depende das suas necessidades e não são posições base que servem para tudo e mais alguma coisa. Reiki é simples mas é preciso “escutar” e entender a pessoa que vai receber a sessão, quais as suas necessidades. Coisas tão simples como se algumas dores são causadas por factores psicossomáticos, caso não mude os seus padrões, elas irão manter-se. Portanto, nessas situações, quer Reiki quer medicamentos não farão grande coisa. A medicina tem que começar a olhar para a pessoa como alguém que realmente necessita de encontrar saúde, equilíbrio e não como alguém a quem uma mera aplicação de medicação ou terapêuticas que por A mais B irão resultar, possivelmente, na redução dos sintomas. Precisamos debruçarmo-nos mais sobre as causas e sobre as várias dimensões da pessoa – tratar como um todo. Se queremos que alguém tenha saúde nas situações complexas e extremas então há que olhar para soluções complementares e não fazer tentativas de ridicularizar o que possa ajudar.

Da parte do terapeuta de Reiki tem também que haver uma mudança na postura. Reiki não é só pôr as mãos, há um universo à nossa frente, representado pela pessoa que irá fazer connosco um processo terapêutico. O Reiki para a fibromialgia pode ser uma solução integrativa muito viável mas é claramente insuficiente 30 minutos de posições básicas. Até 15 minutos poderão chegar, se realmente for encontrada a causa mas, fazendo um trabalho completo em todas as dimensões da pessoa, mais tempo é requerido.

O estudo está de parabéns pela seriedade na escolha e no trabalho mas, está muito longe da realidade devido aos tempos e “posições”. Essa escolha também recai sobre os Mestres de Reiki, pois foi a sua indicação que levou a essa opção. Para se fazer um estudo sobre Reiki, é preciso ir um pouco mais fundo do que só posições, toque ou toque afastado e placebo.

Previous

Desenhar símbolos de Reiki nas mãos

Next

Os cinco princípios segundo Thich Nhat Hanh

3 Comments

  1. angela vescovi

    Muito bom artigo…não poderíamos também, caso o cliente não siaba expressar a dor , aplicar o Reiki nos 11 pontos de diagnóstico clínico. Tem boas respostas também com o Yoga. Namastê!

    • Olá Ângela, boa dica também. Podem fazer isso mesmo, poderá ser também uma base de trabalho. O sentir da energia será muito importante.
      Muito boa partilha.

  2. Clarice

    Grata João, ótimo ter visto este post. Um abraço Reikiano aqui do Brasil.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén