Caminhar atentamente é também meditar

Caminhar é tão simples para nós que nos esquecemos da beleza do movimento e da serenidade que nos pode trazer. Caminhar atentamente é também meditar, é também encontrar a harmonia com o universo.

Neste processo meditativo, tenta caminhar lentamente, levando a tua consciência aos movimentos. Trabalha com a respiração e tenta sentir a “sinfonia” do corpo. Como ele vive harmoniosamente, tantas vezes em inconsciência. Leva o teu olhar para o chão à tua frente. Inclina ligeiramente a cabeça para baixo e não sintas a necessidade de focar os olhos. A tua mente terá a consciência suficiente para não cair em buracos ou tropeçar em pedras. Não te deixes perder pela beleza do que te rodeia ou do que ouves. Terás o tempo próprio para isso, aprende a colocar cada coisa no seu devido tempo e espaço.

             “Caminhar pelo simples prazer de caminhar, segura e livremente, sem se apressar. Estamos presentes a cada passo que damos. Se quisermos falar, paramos de caminhar e damos toda nossa atenção à pessoa que está diante de nós, ao fato de falar e escutar… Paremos, olhemos à nossa volta e vejamos como a vida é bela: as árvores, as nuvens brancas e a infinidade do céu. Escuta os pássaros, sente a leveza da brisa. Caminhemos como seres livres e sintamos os nossos passos tornarem-se leves à medida que caminhamos. Apreciemos cada passo que dermos.” ~ Thich Nhat Hanh 

Algumas dicas para caminhar atentamente

Este processo de meditação pode ter vários objectivos. Pode servir para o desenvolvimento da autoconsciência, corporal, emocional, mental, espiritual ou poderá ser como um acto de bênção e partilha, comunhão com o mundo.

  • Escolhe um local que te seja propício para caminhar sem teres muito que te preocupar com pessoas que surgem à frente ou semáforos;
  • Começa por estar direito e sente como está o teu corpo, no estado parado. Sente a sola dos pés, as pernas, a bacia, como estão as costas e ombros, os braços e a cabeça;
  • Inicia a tua caminhada, um passo de cada vez, lentamente, sente como os dedos dos pés fazem pressão na terra, a planta do pé, o calcanhar que toca no chão. Como as pernas reagem, como todo o corpo reage ao movimento;
  • Se te surgirem emoções e pensamentos, não te preocupes, toma nota delas mas não te apegues. Estás ali unicamente para caminhar atentamente;
  • foca a tua atenção no acto de caminhar; Vai acompanhando esse acto com a respiração;
  • Se sentires que necessitas corrigir a respiração e a passada, fá-lo, não te preocupes nem faças disso um impedimento para a tua meditação;
  • Quando quiseres pára por um momento. Sente novamente como estás. O corpo, a mente. Observa o que te rodeia. Vês o céu diferente?

Caminhar atentamente é uma outra aproximação à meditação. A meditação pode estar em toda a nossa vida e em todos os nossos actos. Nós é que damos valor e importância ao que fazemos e como o fazemos.

Caminhar para espalhar bênçãos. Sente como trazes coisas boas na terra por onde caminhas. Distribui felicidade e cultiva-a com os teus passos.
Caminhar para espalhar bênçãos. Sente como trazes coisas boas na terra por onde caminhas. Distribui felicidade e cultiva-a com os teus passos.

Caminhar  atentamente espalhando bênçãos

Podes também imaginar que ao caminhar atentamente os teus pés espalham bênçãos, como se fosse crescendo vida em cada passo que dás, ou como se fossem surgindo belas flores de lótus debaixo dos teus pés. Se fores praticante de Reiki podes ainda deixar fluir energia pelas mãos e pelos pés, como se fosses revitalizando a Terra, os locais por onde passas, as pessoas por onde passas. Tem essa consciência, que cada passo teu cultiva bênçãos.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.