Como estudar Reiki – Elevação da Consciência

Reiki – Elevação da Consciência é, acima de tudo, um livro prático escrito de mim para ti. É um livro simples mas não simplista e verás que com a tua prática consistente irás atingir os momentos que o Mestre Usui propunha – o Satori, a iluminação. O livro não tem quaisquer pretensões de ser o “mais correcto” sobre Reiki ou sobre ser “um verdadeiro caminho”, antes pelo contrário, é uma perspectiva muito pessoal pela vivência que tive, por isso, apenas pode ser considerado um livro de partilha. Acima de tudo, desejo que te ajude a ter cada vez mais alegria de praticar Reiki.

Os benefícios de estudar Reiki – Elevação da Consciência

Todos os capítulos do livro têm uma abordagem prática para que tenhas uma maior envolvência com o Reiki e com todos os conceitos abordados. Por exemplo, na página 44 começamos com o “Só por hoje“, Kyo Dake Wa – cada princípio tem uma reflexão e posições que poderás praticar, deixando fluir Reiki, para o desenvolvimento dessa virtude. Outro exemplo, a partir da página 149 começo por explicar os chakras mas, não fico pela teoria, tens também exemplos de como tratar cada chakra, com Reiki.

Os benefícios deste livro são claramente as situações práticas que podes desenvolver com todo o ensino de Reiki, na prática terapêutica e na filosofia de vida. Partilho ainda perspectivas orientais sobre a origem dos símbolos e meditações para praticares os mesmos. Tens ainda 21 poemas do Imperador Meiji, escolhidos por mim, para que possas ir reflectindo ao longo dos teus 21 dias de autotratamento.

A elevação da consciência faz-se com tudo o que aprendemos no Reiki. Tens também técnicas específicas para te ajudar nesse processo interior e exterior, que poderás consultar para a prática, a partir da página 121.

Neste livro, incluí também alguns Tao do Reiki, ou seja, caminhos que poderás percorrer para o teu crescimento. Se és Mestre de Reiki, experimenta os «DEZ DIAS DE PURIFICAÇÃO E TRABALHO INTERIOR PARA MESTRES DE REIKI» irá ajudar-te a desenvolver de forma incrível o canal energético e a tua própria percepção interior. Sem dúvida que são tudo passos para a elevação da consciência.

Como estudar este livro

Encontrarás a sua divisão em quatro partes essenciais:

  1. O Reiki e as suas bases
  2. Compreender a energia e o canal energético
  3. A elevação da consciência
  4. A prática para a elevação da consciência

Tanto podes ler o livro de uma ponta à outra, compreendendo o encadeamento das práticas e das reflexões, como podes consultar por capítulo ou tema. Apesar de tudo se interligar, os temas são independentes e bastante simples. No final de cada capítulo, tens um resumo que te pode ajudar a reflectir sobre todos os aspectos que foram tratados.

Qualquer dúvida, por favor, está à vontade para me contactares pelo email taodoreiki@joaomagalhaes.com

Usar o livro no dia-a-dia

“A mente é um macaco que pula de galho em galho, em busca do fruto, na selva do condicionamento humano.” ~ Buda

Para desenvolveres a tua filosofia de vida, podes reflectir sobre os poemas do imperador Meiji ou com os cinco princípios, tentando tratar as posições sugeridas, naqueles que vejas que tens mais dificuldades. Podes ainda usar no teu autotratamento vendo as posições; desenvolver a prática e sensibilidade dos símbolos com as meditações sobre os mesmos e praticando as propostas do Tao do Reiki.

Se quiseres, tira uma fotografia tua com o livro Reiki – Elevação da Consciência, ou apenas uma fotografia do livro e envia-me para receberes um pequeno guia de apoio com mais reflexões e técnicas que não aparecem no livro.

composição-reiki-elevação-da-consciência-joão-magalhães

Público-alvo

Praticantes de Reiki, de qualquer nível, sistema e público em geral.

Índice do Livro

Como usar o livro

Como usar este livro – 12

Reiki – as bases

O que é Reiki – 17
A filosofia de vida no Reiki – 38
Os pilares do Reiki – 74
O autotratamento – 86
Os símbolos de Reiki – 100
As Técnicas de Reiki – 122

Compreender o canal energético

O canal energético – 138

A elevação da consciência

A elevação da consciência – Reiki e a espiritualidade – 164
Anshin Ritsumei, na prática de Reiki – 173
Meditar com Reiki – 178

Prática para a elevação da consciência

O Tao do Reiki – 184
Cinco dias de purificação – 187
Dez dias de purificação e trabalho interior para Mestres de Reiki – 189
21 Dias de Reiki – 208

Prefácio

Um dos alunos pediu-lhe:
“Ensina-nos mestre, aquilo que precisamos saber para sermos bons Reikianos.”
O mestre declarou: “Mente limpa e coração predisposto.”
E foi esta simplicidade e partilha de conhecimento que encontrei ao folhear as páginas deste livro.
O que mais precisamos como Reikianos? Sem dúvida que o conhecimento é muito importante, mas é a prática que nos leva à tão esperada elevação da consciência.
Quando meditamos percebemos que Reiki é tão simples! É um caminho para a felicidade! E é com esta simplicidade e com muito amor, que o devemos percorrer. O nosso caminho! Diferente para cada um de nós. E mesmo quando ele se mostra árduo, devemos percorrê-lo honestamente. No meio de tantos conflitos, vamos respirar e manter a calma, sempre com muita gratidão, com confiança em nós próprios e com um coração cheio de bondade.
Reiki – Elevação da Consciência, não é mais um livro de Reiki, é um livro de Reiki que vai de encontro às necessidades de todos reikianos, ao conhecimento e à tão valiosa prática. Aqui encontramos muitos exercícios práticos e práticas diárias de elevação da consciência.
Um grande obrigada a ti João Magalhães, por esta preciosa partilha de conhecimento com que nos brindas! Sem dúvida, um livro feito com muito amor.
Sílvia Oliveira
Mestre e Terapeuta de Reiki

Posfácio

Acredito que em cada um de nós está latente um impulso de evolução, que é tão inato como os impulsos mais básicos, e que mais tarde ou mais cedo, nos daremos conta.
Abraham Maslow, um dos grandes psicólogos do século XX, afirmava que “A auto atualização é o crescimento intrínseco do que já está no organismo, ou mais corretamente, do que o organismo é.” A verdade, é que a maioria das pessoas, uma vez satisfeitas as suas necessidades básicas de sobrevivência, sente uma constante motivação para realizar o seu potencial inerente. E esse impulso, que vem do mais fundo e do mais perene que há em cada ser humano, é o responsável por nos levar a questionar quem somos, para onde vamos, o que queremos e, por conseguinte, a entrarmos em contacto com o grande caminho de reencontro, de revelação, de regresso
a casa. Este caminho assumirá muitas formas, de acordo com aquilo que mais ressoa no coração de cada um. Para mim, e para muitos outros, tornou-se nítido através do Reiki.

Se tivesse de definir o Reiki numa só palavra, escolheria “simplicidade”. Contudo, de imediato sou remetida para “poder”. Não no sentido que a sociedade atribui ao poder, aquele poder exterior, baseado em coisas e circunstâncias, mas sim o verdadeiro poder, o poder interior, que vem da suavidade, da flexibilidade, da compaixão, do amor.
Caroline Myss, uma autora, professora intuitiva e médica norte-americana afirma que “O Céu não aluga quartos no Ritz”, querendo dizer que o verdadeiro poder vem subtilmente, disfarçado de simplicidade e de vulnerabilidade. É aí que temos de abrir os olhos verdadeiramente, e escutar, com o coração, com a mente, e com todo o nosso Ser. Aquilo que nos está a ser oferecido é muito mais do que o nosso ego avalia. O Reiki é isso mesmo: simplicidade, humildade, amor. E são estas as suas caraterísticas que tão bem se adaptam à expansão de consciência de cada um.
Esta expansão de consciência é precisamente este impulso de autoatualização a que os psicólogos humanistas se referem. Algures, durante as nossas vidas, uma voz interior começa a chamar-nos, insistentemente, colocando as questões mais incómodas, recordando-nos que há muito mais do que isto que vemos, do que a existência
quotidiana que levamos, e que se confiarmos e nos entregarmos ao processo, a Vida vai levar-nos onde precisamos ir. E onde é que precisamos de ir? Precisamos de recordar – com a mente e com o coração – que em paralelo à nossa identidade visível (“sou a Maria, tenho 30 anos, sou secretária, gosto de ir à praia e de música”), há mais, há algo
que está para além da pessoa, para além do corpo, das emoções, dos pensamentos. É aqui que a lagarta começa a construir o seu casulo, antecipando um milagre, tantas vezes disfarçado de tragédia.

Parece-me a mim que vivemos um tempo de profunda transformação, quer a nível individual, quer a nível planetário. Um tempo de exceção, porque talvez estejamos agora mais preparados do que alguma vez estivemos, para manifestar esse impulso evolutivo. Por todo o lado, assistimos a uma enorme polarização das sociedades
humanas, com exemplos “muito bons” e exemplos “muito maus”. Tudo o que a Humanidade tem vindo a construir ao longo de milénios, está a ser mexido e remexido, a ser escrutinado, avaliado, posto em causa. Estamos num enorme processo de desconstrução, desde o microcosmos das nossas vidas ao macrocosmos do Planeta. É um processo necessário para a construção de algo novo. Sinto que é isso que nos está a ser pedido a todos: uma reconstrução de dentro para fora. Mais do que nunca, a famosa frase de Ghandi – “Sê a mudança que queres ver no mundo” – parece ser o mote que cada um de nós tem de seguir. “Observa-te. Quem és tu? O que queres? Para onde vais?
Escolhe. Arregaça as mangas, e trabalha. Constrói um novo ser e, em cada momento do Agora, construirás um novo mundo.”
É uma tarefa hercúlea. Somos chamados a ser os semideuses de que a mitologia fala.
Se nos entregarmos às especulações da mente, se nos deixarmos abalar pelas suas considerações, pelos seus medos e pelas suas crenças, tudo nos parecerá avassalador e impossível. Mas um problema não pode ser resolvido no mesmo nível de consciência.
A solução passa por nos sintonizarmos com um nível de consciência superior. Um nível em que os nossos corpos sejam os instrumentos da manifestação dos nossos sonhos, saudáveis e em equilíbrio. Um nível em que mente e coração estejam em sintonia. Em que reconheçamos a nossa essência fundamental e estejamos ligados a ela. E então,
tomaremos consciência de como a nossa vulnerabilidade é, na verdade, a nossa força.
De como a flexibilidade e a suavidade são veículos para a nossa experiência de cada momento. De como não há outro tempo senão o momento presente, o agora.
O Reiki é um caminho para a expansão de consciência, como o são outros. Não é melhor, não é pior. É um caminho holístico, no sentido em que permite um equilíbrio entre os nossos diversos corpos, abrangendo não só a parte mais física como a parte mental, emocional e espiritual, relembrando-nos que somos um Todo. Não é apenas uma terapia, é uma filosofia de vida, que nos oferece um conjunto de práticas de autoconhecimento e desenvolvimento. É um caminho de amor e de aceitação, que nos convida a trabalhar primeiro conosco para, depois, sermos um instrumento válido e útil para todos os outros seres vivos. É um caminho que nos recorda e nos liga à Vida, com reverência e propósito. Não estando ligado a nenhuma corrente religiosa ou espiritual, é um caminho de espiritualidade.
Desenganem-se aqueles que pensam que a espiritualidade não é necessária. A espiritualidade é a consciência de que somos muito mais do que um aglomerado biológico de células com uma mente pensante e hiperativa. Como Teillard de Chardin afirmou: “Somos seres espirituais experimentando uma aventura humana, e não seres humanos numa aventura espiritual”. Quando experimentamos na nossa vivência, esta transcendência, não mais voltamos atrás. Expandimos a nossa consciência para abarcar mais uma parte do Todo.
Neste tempo extraordinário que vivemos agora, trabalhos como aquele que o João fez com este livro, e faz através de todas as suas atividades, são vitais para nos assinalarem o caminho, tal como luzes de farol que nos vão guiando pela escuridão da incerteza e da desconstrução.
Seja qual for o caminho que escolhermos, seja qual for o que ressoar mais conosco, é imprescindível vivermos em paz, com confiança, centrados no agora, e na nossa essência, trabalhando diariamente, com disciplina mas também com flexibilidade, com entrega mas com desapego, com “ganas” mas também com compaixão, em prol da
nossa evolução.
Tudo o que alcançarmos, iremos partilhá-lo com quem nos rodeia, seja pelo exemplo que dermos, seja pela energia que emanarmos. Não há maior trabalho do que este, não há nada mais importante que possamos fazer, não há nenhum outro propósito.
Na verdade, não há mais nada que estejamos a fazer, quer nos apercebamos disso ou não. Mas quando nos damos conta, desfrutamos muito mais.
Patrícia Rosa-Mendes
Mestre Reiki, Terapeuta Transpessoal
e Instrutora de Meditação Transpessoal

Editora

Editora Edições Mahatma

Telm: 967319952

edicoesmahatma@mail.com

www.edicoes-mahatma.com

Que o Reiki – Elevação da Consciência te traga muitos momentos de alegria, harmonia e sabedoria, rumo à felicidade.

Categorias de Artigos
Recebe a newsletter

Newsletter

Comments
All comments.
Comments

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.