Olhar com compaixão para o tempo que não temos

Nem sempre temos o tempo que queremos ou que precisamos e, sem dúvida que, se acumularmos durante muito tempo essa percepção, uma sensação de frustração se irá alojar em nós.

Uma coisa é o tempo que precisamos e outra o que realmente temos disponível. As obrigações e os afazeres muitas vezes sufocam as oportunidades que pensávamos ter. Então, como desenvolver uma atitude mais positiva perante a vida?

Quando olhamos com compaixão para a vida que estamos a levar e que não conseguimos concretizar, precisamos criar o distanciamento necessário para compreender tudo o que nos rodeia. Não estamos sós. Estamos todos interligados e a vida flui entre todos. Então, neste processo de compaixão por nós, temos mesmo que alcançar o entendimento da vida – o que precisamos doar, o que temos a trabalhar, o que verdadeiramente precisamos para nós.

Como este é um processo muito próprio para cada um, não há propriamente fórmulas mas sim vivências pessoais. Para estas situações podemos sempre trabalhar com os cinco princípios de Reiki, com autotratamento e reflexão. Mas, sem distanciamento da realidade e das pessoas. Apenas o necessário para ganharmos perspectiva pois a vida realiza-se aqui e agora. Deixo uma partilha de exercícios de Karuna e Reiki para o desenvolvimento da compaixão, nestas situações.

Exercícios de karuna para o desenvolvimento da compaixão

  • Autotratamento
  • Fazer a Meditação Karuna Metta para nós mesmos e para a nossa situação
  • Fazer uma meditação dentro do símbolo Harth, para desbloquear o chakra cardíaco
  • Fazer uma meditação com o Shanti para promover a paz interior

Exercícios de Reiki para o desenvolvimento da compaixão

Vale a pena compreender o que precisamos e desenvolver actos de compaixão para connosco e para com todos os intervenientes da nossa vida. Sem dúvida que o copo esvazia e ganhamos mais tolerância.

st043-216

Categorias de Artigos
Recebe a newsletter

Newsletter

Comments
All comments.
Comments

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  1. Maria Filomena Franco de Almeida Pessanha Isidoro

    Vale a pena ter compaixao <3.
    Obrigada