Energia Universal o que é? Será Reiki?

Muitas vezes dizemos que Reiki é, significa, Energia Universal. Esta é uma definição mais consensual para o ocidente e, de certa forma, mais isenta de conexões a aspectos religiosos ou espirituais.

Energia Universal porquê?

Está em todo o lado, não tem “polaridade”, corresponde à energia vital que nos anima. É comum a todas as pessoas, animais e matéria.

Está em todo o lado

Reiki é a Energia Universal que está em todo o lado e anima toda a matéria – é a energia da vida, da existência. Sentir esta energia, é como sentir a vida a pulsar dentro de nós. Os órgãos preenchem-se de vitalidade, as emoções harmonizam-se, a mente abranda. Estando em todo o lado, qualquer praticante a pode veicular, entrando pelo seu chakra da coroa, saindo pelas mãos. O fluxo dependerá do receptor e também da própria qualidade do canal do emissor – imaginem que o canal energético é como uma mangueira. Se estiver bem cuidada, a água fluirá, se estiver pouco cuidada poderá encontrar uma mangueira ressequida, com limos ou até dobrada.

Na perspectiva do Taoismo, podemos considerar Reiki como Wuji, a energia primordial, sem fim, infinita. Wuji dá origem a tai chi (yin e yang) que dão origem a todas as coisas.

wuji-becomes-taiji

Apesar da energia universal estar disponível em qualquer lugar, não quer dizer que devamos pratica em qualquer lugar. Se estiverem num ambiente que seja pesado, conseguirão fluir Reiki (sem dúvida) mas o efeito desse ambiente pesado no vosso campo energético poderá não ser o melhor.

Não tem polaridade

A Energia Universal, Reiki, não tem polaridade. Não apanhamos choques eléctricos nem recebemos energia a mais – é recebida e emitida na sua medida necessária. Cientificamente não a conseguimos explicar nem existe uma medição muito concreta. Isso talvez aconteça porque se esperam picos de energia ou uma intensidade superior à normal mas porque não considerar algo tão subtil que por essa mesma simplicidade é que traz o equilíbrio? Num ambiente pesado sentimo-nos mal, num ambiente leve sentimo-nos bem. Vale a pena reflectir e investigar mais nestes sentidos.

Sem polaridade (Wuji) e ainda Suprema Polaridade (Taiji)! A polaridade Suprema em atividade, gera yang; no entanto, no limite da atividade ainda está parada. Na quietude gera yin; ainda no limite da quietude, também é ativa. Atividade e quietude alternam-se; cada uma é a base da outra. Ao distinguir yin e yang, os dois modos são assim estabelecidos. A alternância e combinação de yang e yin geram água, fogo, madeira, metal e terra. Com estas cinco [fases de] qi dispostas harmoniosamente, as quatro estações avançam através delas. As cinco fases são simplesmente yin e yang; yin e yang são simplesmente a polaridade Suprema; a polaridade Suprema é fundamentalmente não-polar. [No entanto,] na geração das cinco fases, cada um tem a sua natureza. (tr. Adler 1999:673-4)

Deixar fluir é preciso

“A força reside onde o ki está concentrado e estável; a confusão e a malevolência reinam onde o ki estagna”. Estes sábios conselhos de Morihei Ueshiba, são uma advertência ao praticante – cultivar e aprender a concentrar o ki. Esta concentração de energia vital depende também da nossa capacidade de não esgotar a energia através de más práticas ou desgastes emocionais. Ao deixar fluir Reiki estamos a harmonizar a energia interior e vital mas, devemos aprender a mantê-la e cultivá-la.

Somos partes de um todo, interligados

Um dos aspectos mais belos da prática de Reiki é que começamos a ter a experiência de fazer parte de um todo. Sentimos a energia que nos rodeia, que está dentro de nós, essa mesma energia que rodeia os outros e os preenche. Assim, mais sentido faz percebermos e sentirmos que somos todos partes de um todo – individuais, únicos mas interligados e igualmente importantes.

Faz sentido continuarmos a usar a expressão Energia Universal para Reiki pois é isso mesmo que a energia representa. Quando a sociedade conseguir compreender melhor os termos espiritualidade, essência e energia então conseguiremos comunicar ainda melhor. Por enquanto apenas há muita confusão e como Reiki é simples, podemos  e devemos manter a simplicidade.

Author: João Magalhães

Sou Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Mestre de Karuna, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e co-fundador do CENIF. Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki» e «Reiki – Elevação da Consciência». Professor de Meditação Terapêutica Integral. Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

Share This Post On

Deixe um comentário