Budismo

Kaji a conexão com a iluminação

hrihO conceito de Kaji (em sânscrito: adhisthana ) é algo que vem do Budismo esotérico e é uma das várias práticas, cuja finalidade é a ligação com a “energia iluminada” – para cura, protecção e desenvolvimento espiritual.

No seu sentido formal, kaji refere-se à geração de “mérito” ou “graça” através de um processo de união esotérico ou “empoderamento mútuo” com Dainichi Nyorai* – alinhando a vontade/desejo dos praticantes com a vontade/desejo de Nyorai – e através deste processo tornar-se infuso com uma paz sagrada na mente, bem como com o aumento da força vital.

No entanto, Kaji é algo que pode ser realizado não apenas para o benefício do praticante mas para o benefício dos outros também.

Kaji – como acontece com outras práticas espirituais – pode ser dedicado a um outro ser, assim, por exemplo, invocar e transferir o poder e as bênçãos da graça de Nyorai para uma pessoa (ou animal) que precisam de cura – ou que necessitam de outro tipo de ajuda.

Kaji é uma das noções subjacentes do Shingon esotérico – Kukai, o fundador do Shingon falou dele como: sammitsu kaji – união de/através dos três mistérios – aludindo à importância central dos três mistérios (gesto, mantra e visualização) no processo kaji.

Kaji é uma palavra composta de dois kanji , ou seja, respectivamente: “para adicionar/auxiliar” e ” para reter/manter”. A palavra faz alusão à “união” e pode ser traduzida conceptualmente como “graça”.

A um certo nível, ka significa a compaixão de Dainichi Nyorai a fluir nos corações dos seres sencientes – ji significa o coração dos seres sencientes que retêm a compaixão que flui de Nyorai .

Enquanto que a abordagem do Shingon (Mikkyo), esotérico, para a prática de kaji tende a ser, geralmente, altamente “cerimonial”, entre o praticante mais avançado de Mikkyo, isto é, os vários grupos como o Senin , Gyoja e Shugenja/Yamabushi, ascetas da montanha, o kaji tem frequentemente levado formas muito mais “minimalistas” de expressão.

No entanto, seja qual for a forma que assuma, muitos diriam que o requisito fundamental para a prática de Kaji é uma verdadeira e profunda crença, sincera, na realidade de Dainichi Nyorai .

Um verdadeiro “nyorai kaji” requer uma conexão emocional. Uma conexão menor,  intelectual, ou seja, uma crença meramente intelectual em Nyorai, ao contrário de um coração que o sentiu resultaria, efectivamente, numa menor eficácia da prática. Para entrar no processo de “nyorai kaji” sem qualquer nível de crença, seria uma prática “vazia”.

* Dainichi Nyorai ( Mahavairocana Buda ) – geralmente referidos simplesmente como ” Nyorai ” – é a divindade / mais alta expressão central da Dharma , no Budismo Shingon .

Fonte: James Deacon
Tradução: João Magalhães

Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e fundador da Ser - Cooperativa de Solidariedade Social. Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki», «Reiki Usui», entre muitos outros. Fundador da revista "Budismo, uma resposta ao sofrimento". Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

2 comentários

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.