Inspirador

Estados alterados de consciência e o yoga

CalmKundaliniOm sahanâvavatu, sahunau
bhunanktu, saha viryam
karvâvahai,
Tejasvinâ vadhitamastu mâ vidvisâvahi,
Om Shanti, Shanti, Shanthiii

A convite de João Magalhães, editor do site, ao qual agradeço antecipadamente, quero compartilhar com vocês minha experiência sobre os estados alterados de consciência e o yoga.

Posso dizer com tranqüilidade que não sei qual é o “estilo” que me identifico mais, tamanha Unidade que encontro hoje em todos os ramos do Yoga, mas nem sempre foi assim.

Meu primeiro encontro com o Yoga se deu em 1995, quando fui fazer uma consulta com um psicólogo em São Paulo, Brasil,  também  Mestre em Kundalini Yoga (Guru Sewak, já falecido)  . Feito a consulta veio o convite para participar do Curso de Capacitação em Kundalini Yoga.  Estavam a estudar os Chakras, meditações e técnicas, assunto que já tinha certo domínio através da Escola Teosófica e Mãos de Luz. Aceitei o desafio e pela primeira vez na vida me senti “normal”.

Uma das características do Kundalini Yoga são os Kryas (séries) e meditações virem prontas, deixando para o instrutor o “ feeling” de escolher dentre eles, qual o melhor e mais adequado ao grupo, dia, hora e circunstâncias… As meditações, com mudras e mantras é talvez o mais atrativo do Kundalini Yoga. (ver Meditação para o Corpo radiante, publicado aqui no site pelo João Magalhães).

Difere do Hatha yoga em vários aspectos, mas o mais explícito são os asanas feitos concomitantemente com o pranayama e às vezes em movimento, enquanto no Hatha Yoga  os asanas, se caracterizam pela permanência na postura. Outro aspecto que difere muito também é a língua no Kundalini Yoga, utiliza-se para os mantras e textos sagrados o Gurmuk , no Hatha Yoga tanto para os textos, como para os mantras o Sânscrito!

Mas junto das flores vieram os espinhos aos quais não tive o cuidado de retirar ou respeitar e seguia os manuais ao pé da letra e na época era isto ou isto! Não tinha ninguém próximo, internet , etc para me comunicar e sanar as dúvidas. Como sou portadora de epilepsia o quadro piorou e muito!

Nesta confusão veio a óbito Mestre no Brasil e Yogui Bhajan  e simultaneamente a estes fatos, fiquei totalmente sem alunos em 2004. Preciso contextualizar e lembrar que na época e-mail para uma pessoa comum no Brasil era muito caro e apesar de possuí-lo só usava eventualmente, fazendo contato de vez em quando com os professores, ainda mais com meu Mestre doente!

Fiz uma pausa e comecei a praticar a Hatha como autodidata e como estava numa pós – graduação em Yoga acabei me especializando em Hatha Yoga também. Tive contato coma escola  o Instituto de Lonavla de Swami Kuvalyananda a qual me identifiquei, pelas pesquisas científicas e yogaterapia, mas tenho identificação com vários mestres contemporâneo : Swami Satyananda, Swami Sachtidananda ambos os discípulos de Swami Sivananda, dentre outros.

O Hatha Yoga caracteriza, pelos asanas e pranayamas, relaxamento e meditação a qual a maior parte dos prof. e alunos de Hatha abandonam esta etapa indo até o relaxamento. Praticar Hatha Yoga sem meditar é como servir um banquete e esquecer a sobremesa.

O objetivo de TODOS OS YOGAS é a meditação.

Onde fica os estados alterados de consciência? Não fica… Na verdade o João Magalhães respondeu muito bem a esta questão no artigo sobre a Kundalini.

Minha experiência me ensinou que qualquer “técnica” pode te levar a um estado alterado de consciência, desde a Kundalini Yoga quanto à Hatha Yoga, quanto à simplicidade e singularidade de Vipassana (do Budismo Theravada),  ou qualquer outra metodologia energética, mas também podem te fazer mal. Neste sentido faço uma ressalva ao Reiki, mas aí seria outro artigo 🙂

O que faz toda a diferença é auto observação, o desapego à técnica em si, a vibração, o estudo diligente e a contemplação aos mesmos ( prática e estudo).  No mais, são puros fenômenos e o que faremos com  estes é o x da questão: abriremos mão deles e distribuímos esta energia a todos os seres, ou ficaremos no apego ao fenômeno!?

Não existem receitas, existem instruções que podemos moldar às circunstâncias e pessoas.  Lembrar-se da experiência de Buda também pode ser útil também: ele queria levar uma vida total de ascetismo, mas estava morrendo. Uma moça que morava próximo, ao local de meditação viu sua situação e teve a compaixão e lhe levava papa de arroz com mel todos os dias, até ele recobrar seu estado normal. Contemplando percebeu que teria que trilhar o Caminho do Meio… sempre!

Angela VescoviHoje estou feliz e tranqüila ministrando e praticando Kundalini Yoga e Hhata Yoga!!!! 🙂

Este ano (2013), tive um chamado muito forte, ao qual o Tao do Reiki faz parte desta história. Me preparo para ir ao Mestrado em Reiki e ensinar o Reiki também!

Possam todos os seres se beneficiarem destas ações!

Namastê! Sat Nam!

Angela Vêscovi

 

RA MA DA SA SA SAY SO HUNG ( Sol, Lua, Terra , Infinito Eu sou este infinito ao qual pertenço e ao qual estou contido).

Mantra de Cura da tradição do Kundalini yoga. Pode ser realizado no conceito mais amplo de cura, desde pessoal, situaçãoes ao Planeta e etc.

[youtube_sc url=”http://youtu.be/iQCzxGDOgZM”]

Angela Vêscovi, instrutora de Kundalini Yoga pela KRY, especialista em Yoga pela UNIBEN, Reiki I ,II e III A ( Mikao Usui e Karuna, nível I).

Terapeuta Floral, Jin  Shin Jyutsu e EFT.

[youtube_sc url=”http://youtu.be/MfyQ-LdWGpM”]

Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e fundador da Ser - Cooperativa de Solidariedade Social. Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki», «Reiki Usui», entre muitos outros. Fundador da revista "Budismo, uma resposta ao sofrimento". Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.