Inspirador

evitar o mal conselhos do Dhammapada

Quem quer elevar a sua consciência tem que evitar o mal e assim evitar as suas necessárias consequências. No Dhammapada, um dos mais profundos escritos atribuído aos ensinamentos de Buda, encontramos o capítulo IX que fala sobre o Papavagga – o mal.

A seguinte versão é a do Venerável Weragoda Sarada Maha Thero, assim como as ilustrações são do seu livro “Treasury of Truth – Illustrated Dhammapada”.

Como em tudo, devemos ter uma mente vazia e aberta para compreendermos a mensagem. Não existe bem e mal segundo Buda mas sim sabedoria e ignorância. As más acções são fruto de ignorância e inferno é apenas o sofrimento criado por nós próprios. Em muitas destas estrofes encontramos referências que nos transportam à lei do Karma. Acumular virtudes e méritos não significa que logo no momento se irão reflectir. Se há karma negativo acumulado, demorará algum tempo até ser resgatado mas, continuar com a prática das boas acções irá acumular karma positivo e uma vivência mais pura, compreendendo a dor e o sofrimento.

Papavagga … O Mal

116. Nunca hesites em fazer o bem

Apressa-te a praticar o bem
e protege a tua mente do mal.
Para aquele que hesita em fazer o bem
a sua mente deleita-se com o mal.

Interpretação: Guarda a tua mente do mal, realiza acções virtuosas, meritórias, está alerta e age rapidamente.

117. Não faças mal uma e outra vez

Se alguém praticar algum mal
que não o faça vez após vez.
Que nisso não encontre deleite:
sofrimento é acumulá-lo.

Interpretação: Alguém pode fazer coisas más mas não as deve repetir. Não deve tirar contentamento disso pois o seu mal acumulado irá magoá-lo.

 

118. Acumular mérito leva à felicidade

Se alguém praticar algum bem
que ele o faça vez após vez.
Que nisso encontre deleite:
felicidade é acumulá-lo.

Interpretação: Repete as acções meritórias e encontra contentamento nelas. A acumulação de mérito leva à felicidade.

 

119. O mal parece doce até que amadurece

Enquanto o mal não amadurece
os malfeitores podem ser bem afortunados,
mas quando o mal amadurecer
o malfeitor verá maus resultados.

Interpretação: O malfeitor poderá até ver o mal que faz como algo bom mas mais cedo ou mais tarde irá perceber que o mal trará mal.

 

120. O bem pode parecer mal até que o bem amadurece

Enquanto o bem não amadurece
os benfeitores podem ser desafortunados,
mas quando o bem amadurecer
o benfeitor verá bons resultados.

Interpretação: Mesmo uma pessoa boa pode achar-se pouco afortunada mas, com o tempo irá ver os resultados do seu bem praticado.

 

121. Não leves nenhum mal ligeiramente

Não subestimes o mal pensando:
“Ele não me irá atingir”.
Pois tal como gota a gota
se enche um pote,
também o tolo se enche do mal
pouco a pouco acumulado.

Interpretação: Alguns podem achar que as suas acções podem ser levadas de forma ligeira mas, o acumular das suas más acções irá mostrar-lhe uma outra realidade.

 

 

122. Mérito cresce a pouco e pouco

Não subestimes o bem pensando:
“Ele não me irá beneficiar”.
Pois tal como gota a gota
se enche um pote,
também o sábio se enche do bem
pouco a pouco acumulado.

Interpretação: A virtude acumulada, pela constante prática, irá trazer muitos benefícios e felicidade. Poderá demorar tempo pois há sempre karma a resgatar mas, essa felicidade chegará.

 

123. Evita o mal como o veneno

Tal como um rico comerciante numa pequena caravana
evita um caminho perigoso,
igual a um homem que ama a vida evita o veneno,
deve-se evitar todo mal.

Interpretação: Se não se está preparado ou seguro com determinado caminho, deve-se escolher outro. Aquele que evita o veneno na vida, deve também evitar o mal.

 

124. O mal resulta de más intenções

Se na mão não há ferida
até mesmo veneno pode levar.
O veneno não afeta alguém sem feridas,
tal como o mal não afeta aqueles que não o praticam.

Interpretação: Se alguém não tiver medo do mal por não o ter praticado, nada lhe poderá acontecer. Praticar a virtude, substitui o mal e cura as feridas.

 

125. O mal feito aos outros retorna a quem o faz

Aquele que é rude com os puros,
imaculados e livres das impurezas,
sobre esse tolo o mal volta-se
tal como a poeira fina atirada contra o vento.

Interpretação: Se um ignorante for rude ou cruel com alguém puro, esse acto irá virar-se contra ele.

 

126. Aqueles que falecem

Alguns nascem no ventre,
malvados no inferno,
aqueles no bom caminho vão para o paraíso,
enquanto que aqueles sem impurezas: Nirvana.

Interpretação: Alguns renascem, outros vão para o inferno. Aqueles que praticaram boas acções vão para o paraíso e os que não têm impurezas vão para o Nirvana, quando deixarem a sua vida mortal.

127. Abrigo contra a morte

Nem no céu, nem no meio do oceano,
nem habitando uma caverna numa montanha,
não há nenhum lugar nesse mundo
onde alguém possa permanecer e escapar das suas ações prejudiciais.

Interpretação: Se alguém pratica mal, não poderá escapar das suas acções.

 

128. Não há escapatória à morte

Nem no céu, nem no meio do oceano,
nem habitando uma caverna numa montanha,
não há nenhum lugar nesse mundo
onde alguém possa permanecer e não ser subjugado pela morte.

Interpretação: Não há lugar algum onde se possa esconder da morte e por consequência, do julgamento.

Designer, Mestre, Terapeuta de Reiki, Presidente da Associação Portuguesa de Reiki e fundador da Ser - Cooperativa de Solidariedade Social. Autor dos livros «Reiki Guia para uma Vida Feliz», «O Grande Livro do Reiki», «Reiki Usui», entre muitos outros. Fundador da revista "Budismo, uma resposta ao sofrimento". Acima de tudo quero partilhar contigo o porquê de Reiki ser a «Arte Secreta de Convidar a Felicidade».

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.