O tao do Reiki - Sobre Reiki - Usui

Uma árvore, muitas folhas. Assim é o Reiki e os seus praticantes, assim é o Reiki e as suas práticas. Saberemos conviver com a diversidade em harmonia?

Cada um tem a sua perspectiva, a sua visão do que deve ser algo, o seu grau de exigência, o tal contracto implícito com os outros que nem sempre é muito claro. E por nem sempre o espelho do coração e do querer não ser límpido e claro, algo falha. É natural e faz parte do nosso crescimento, como tal, não nos devemos ocupar tanto com essas questões. O falhanço é a mãe do sucesso. Devemos sim ocupar-nos com o que é essencial, a construção do nosso Ser para que melhor possamos ser para nós e para os outros.

No seu poema a Relva de Verão, o Imperador Meiji reforça-nos a importância que cada um tem no seu lugar na vida. Na vida, no Reiki. Sem folhas não há árvore.

A relva de Verão
Representa
O mundo atarefado
Que continua a crescer
Apesar de a cortares
Sem folhas, não há árvore.

 A prática dos cinco princípios é cada vez mais necessária nesta nossa vida, assim como cada vez mais necessária na própria prática do Reiki.

Muitas vezes teremos que passar pelo Misogi, a purificação do corpo e da mente. É isso que nos ajudará a perspectivar, livres de pesos desnecessários. Sem trabalho, nada se consegue, no entanto com o Reiki temos uma vantagem, pode ser feito com alegria. O Mestre Morihei Ueshiba dizia sobre este caminho que percorremos – “O Caminho (Tao) consiste, acima de tudo, em cultivar o próprio coração, depois disso, você pode enfrentar qualquer inimigo com a certeza da vitória.”

No Tao do Reiki temos que encontrar a coragem de sermos quem somos, de aceitarmos que somos parte de uma árvore, bonita e que precisa de nós, de todos nós.