O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Como compreender a Missão de Vida

Todos nós chegamos a algum momento em que queremos compreender a nossa missão de vida. O que estou cá a fazer? Para que? sentimos que há algo mais do que aquilo que fazemos todos os dias e que, possivelmente, não nos estamos a cumprir.

Compreender a missão de vida e como a encontrar

Desesperamos por não entender a nossa missão de vida porque consideramos que é uma única, ou seja, algo de grande que é orientador, mas será mesmo?

Se observares a tua vida, irás ver que segues o grande caminho da vida, mas que nesse caminho existem várias vias paralelas. Vias que representam algo como:

  • As amizades;
  • A família;
  • O trabalho;
  • A paixão;
  • Os desafios que temos que ultrapassar;
  • E muito mais…

Em cada uma destas vias, temos uma missão de vida.

Se encarares as coisas que são mais fortes na tua vida, como os exemplos que dei, poderás compreender, realmente, que não existe algo como uma única missão de vida, mas sim um conjunto de missões que no seu todo farão a tua missão de vida.

Começa então por ter o entendimento do teu percurso de vida. Como te relacionas com os teus amigos e o que há a melhorar, o que podes fazer para que a tua família seja mais estruturada, o que há a realizar no trabalho e nos relacionamentos do trabalho, que coisas te motivam na vida e o que tens feito para as alcançares e, principalmente, quais os maiores bloqueios, desafios, na tua vida.

Ao realizares estas questões irás compreender melhor a tua missão de vida, vais entender que há algo de base que precisa ser trabalhado, assim como há uma paixão que te movimenta ao longo da vida… e assim vais descortinando aquilo que antes pensavas ser difícil de descobrir.

Mantém-te firme naquilo que acreditas e muda o que tens que mudar, para teu bem e sempre para bem de todos. Define de que lado da estrada estás e, mesmo que faças alguns desvios, consegues sempre regressar a esse lado.

A tua missão de vida é sem dúvida importante, porque a tua vida é importante.

 

Revista Usui #7 – Reiki e Estilos de Vida

Já temos disponível a revista online USUI – Reiki e Estilos de vida, o número 7 que é uma comemoração de um ano da revista.

Agradecemos a todos os formadores, alunos e amigos colaboradores, que tornaram possível esta revista.

Podes ler no ISSUU:

Ou fazer download do PDF. A revista é unicamente em formato digital PDF, tem um valor de €2 de donativo, mas pode ser feito o download gratuitamente, colocando no espaço do cupão de desconto a palavra: querogratis

Encontro CENIF com caminhada na Serra da Estrela

Dias 16 e 17 de Junho, as várias escolas de Reiki CENIF irão realizar um encontro na Serra da Estrela
Esta atividade, organizada pelos  grupos de caminhadas das escolas de Guimarães e Amadora, pretende promover o encontro, conhecimento e convívio de pessoas com os mesmos interesses e experiências, afinal somos todos praticantes de Reiki.
Iremos pernoitar na pousada da juventude da Torre, fazer caminhadas, umas mais longas, outras mais curtas, de acordo com as capacidades de cada um (nada é  obrigatório) passear e conhecer alguns locais emblemáticos da serra.
A viagem será realizada em boleias partilhadas, para podermos rentabilizar carros, gasoleo e portagens.
Partida do cenif no sabado pelas 6.30 da manhã. O dia de sabado será dedicado às caminhadas pelo que deveremos levar farnel para durante o dia.  À noite temos restaurante reservado para um jantar convivio.
No domingo teremos oportunidade de comprar mantimentos para o farnel do dia, e mais uma vez procuraremos conhecer os recantos mais bonitos da Serra da Estrela.
O custo deste passeio é  de 25 euros que inclui alojamento, pequeno almoço, caminhadas e atividades programadas no fim de semana.  Não inclui o preço do jantar de sábado (é à carta pelo que cada um é livre de escolher comer mais caro ou mais barato) nem o transporte que será de acordo com as boleias que se conseguirem organizar.
Há  15 vagas que serão  preenchidas por ordem de inscrição, obrigatória, a efetuar para o mail da Maria José Barros até ao dia 30 de Maio: josebarros.fmm@gmail.com
No mail indiquem se tem carro e quantas pessoas se dispõem a levar ou se precisam de ser levados.

Quando deves receber Reiki presencialmente e não à distância

Podemos receber Reiki de várias formas, presencialmente ou à distância e existem condições que requerem o tratamento presencial e não à distância. Vamos observar como estas formas de receber Reiki podem ser distinguidas, para melhor auxiliar a pessoa.

Receber Reiki presencialmente ou não

Ao receber Reiki presencialmente, o praticante está perante a pessoa, avalia os seus movimentos, os seus gestos, que muitas vezes são indicadores dos locais onde tem algum tipo de bloqueio. Não lemos as expressões como um psicólogo, mas observamos os gestos no sentido de compreender a energia e o seu fluxo, ou ausência dele.

Presencialmente podemos comunicar com a pessoa e com o que ela indica ser melhor para a sua questão, poderá até referir a forma como fica deitada na marquesa, ou se durante o tratamento está a sentir algum tipo de desconforto ou reacção que esteja a interferir com ela.

Podemos no final ainda conversar e compreender se os objectivos estão estabelecidos. O dialogar com a pessoa é muito importante, pois ela poderá ir com a intenção de receber Reiki para uma situação, mas podemos compreender que poderá ser antes outra a razão e essa hipótse terá que ser dialogada.

Receber Reiki à distância, poderá ser útil para outras situações, pois estamos apenas a tratar energia com energia, sem o envolvimento presente da pessoa, o que poderá ajudar em algumas questões de bloqueio. Por vezes, o envio de Reiki à distância pode até ajudar o desbloqueio do trabalho que vai ser feito presencialmente, ou ser realizado após a prática presencial, para auxiliar a trabalhar algumas questões que ficaram em suspenso.

Estas duas técnicas complementam-se e são importantes, no entanto, só a prática de Reiki presencial é que pode ser considerada uma consulta, não existem, não são de todo aconselhadas consultas à distância.

Mas em que situação é que a pessoa apenas deve receber Reiki presencialmente?

Principalmente nas situações que requeiram uma tomada de consciência. Por exemplo, se a pessoa tem andado com questões de falta de autoconfiança, precisa de ter um acompanhamento presencial, é necessária uma mudança de consciência, uma mudança de padrão.

Assim, podes facilmente compreender como a maior parte das situações requerem um tratamento presencial. O envio de Reiki pode ser bastante útil, mas não substitui uma consulta e um trabalho consciente e responsável da pessoa, para o seu próprio processo terapêutico.

Segunda Edição de Reiki Guia do Método de Cura

Em Maio de 2018 a Editora Nascente fez mais uma edição do livro Reiki Guia do Método de Cura, um manual prático para o praticante e terapeuta de Reiki.

Reiki Guia do Método de Cura – porque um manual para terapeutas de Reiki?

Desenvolver a prática de Reiki, ao longo dos vários níveis, para um praticante se tornar terapeuta de Reiki é algo de exigente, demorado e que requer um profundo conhecimento de todo o método Usui Reiki Ryoho.

Se considerarmos que cada nível tem seis meses de prática e que o término da aprendizagem está no nível 3 de Reiki, um praticante pode demorar um mínimo de um ano e meio para alcançar o saber dos níveis que o Mestre Usui indicava para a nossa “Arte Secreta de Convidar a Felicidade”. A diferença entre fazer este percurso ao longo do tempo ou ter uma experiência pontual e lançar-se para o mercado de trabalho pode ser abissal, se pensarmos na missão que o Mestre Usui nos indicou:

A missão do Usui Reiki Ryoho é guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a sua felicidade e a nossa.

Isto significa que a nossa prática terapêutica deve ser feita em grande consciência e não apenas colocar o ónus da responsabilidade na pessoa e na “energia”. Não é o terapeuta que cura, mas ele faz um grande trabalho, desde a escuta da pessoa, a uma reflexão cuidada através da nossa filosofia de vida, até mesmo à forma como compreendemos o byosen, a irradiação do desequilíbrio que a pessoa emana.

Ter o entendimento do tipo de tratamentos que fazemos, seguindo as indicações do Mestre Usui, Hayashi e Takata, além da Associação Usui Reiki Ryoho Gakkai, foi um trabalho vastíssimo e exigente, que está compilado neste livro e que te pode trazer grande benefício no entendimento da aplicação terapêutica.

Aqui poderás também encontrar descrições mais detalhadas de outros tipos de byosen além dos comuns, de forma ilustrativa além de dicas interessantes para desenvolveres a tua sensibilidade energética e interpretação através da terceira visão.

Este livro é ainda o primeiro, mundialmente, a ter as indicações da Usui Reiki Ryoho Gakkai sobre conselhos a um Terapeuta de Reiki. Este é um livro ímpar, publicado em japonês, com o título de Usui Reiki Ryoho no Shiori. Se tens interesse em conhecer a perspetiva japonesa da prática de Reiki, esta é uma excelente oportunidade para escutares as palavras do Mestre Usui e os seus ensinamentos.

Este livro é um manual prático fundamental para todos os praticantes e terapeutas de Reiki. Apresenta passo a passo as fases que um terapeuta deve percorrer no caminho para a profissionalização, desde os preceitos desta filosofia, ao estabelecimento de um espaço, à consulta e aos desafios de tratar os outros. Este é, pois, um guia completo que reúne conhecimentos importantes para todos aqueles que procuram ajudar os outros a recuperar a harmonia e o equilíbrio nas suas vidas.

Um livro indispensável que inclui:

  • Instruções para tratamento de diversas doenças e afeções dos
    corpos físico, mental e emocional;
  • Perguntas e respostas comuns sobre a terapia;
  • Ferramentas de apoio ao terapeuta;
  • Sistematização dos tratamentos segundo os Mestres Usui,
    Hayashi, Takata e a Usui Reiki Ryoho Gakkai;
  • Manual do Mestre Usui e Manual de Terapia da Usui Reiki Ryoho
    Gakkai.

Na vida, nem tudo corre bem mas isso até pode ser bom

Nem tudo corre bem, há momentos em que estamos acima da onde, mas outros em que ficamos bem abaixo da linha de água, correndo ainda o risco de nos afogarmos. Mas porque será que quando nem tudo corre bem isso poderá ser bom para nós?

Uma atitude para quando nem tudo corre bem na vida

Zenão era um cínico. Não acreditando numa vida sem apreciar o seu lado bom, resolveu fundar um novo conceito filosófico – o estóico. Sim, podemos apreciar os prazeres da vida, não podemos sim é depender deles ou apenas viver para esses mesmos prazeres. Ser estóico na vida é firmar-se naquilo que é mais importante e saber resistir ao que é aparente. Na nossa educação, somos ensinados a querer alcançar o melhor, a viver o melhor, a ter o melhor. Uns assim se esforçam acérrimamente, outros escolhem caminhos desviados para o ter, outros ainda sofrem porque não conseguem alcançar esse dito “melhor”. Mas há ainda aqueles que observam essa corrida como sendo um completo desperdício de energia, fazendo muitas vezes a pessoa perder a vista do que é essencial na vida.

Quando nem tudo nos corre bem na vida temos a oportunidade de criar um novo eu, de reconstruir ou construir um “sistema de crenças” que realmente faça frutificar o que há de bom e de genuíno.

Assim chegamos à prática de Reiki, do Usui Reiki Ryoho.

O Mestre Usui indicou-nos “A missão do Usui Reiki Ryoho é guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a sua felicidade e a nossa”. Ele não nos queria induzir em erro, prometendo felicidade, mas sim saber ter uma atitude estoica, recta, directa, no caminho que levamos. Através da nossa filosofia de vida, compreendemos como quando nem tudo corre bem existe um enorme crescimento. Para o fazer, aplicamos os cinco princípios:

  1. Se esta situação está a correr mal, de que forma eu contribuí para a sua criação, como eu perdi harmonia, ou como levei desarmonia aos outros e à situação;
  2. Se a minha vida não está a correr bem, porque perdi a confiança em mim para a endireitar? Porque não aceito que sou capaz de aprender a viver nos bons e nos maus momentos da vida?
  3. Se nem tudo corre bem o que eu tenho a aprender com estas situações? O que a vida realmente me quer dizer?
  4. Será que sou diligente no meu caminho de vida? Espero que as coisas aconteçam ou esforço-me para as concretizar, aproveitando todo o saber que daí vem?
  5. Quando as coisas não correm bem, será que consigo continuar a ser bondoso? O que pode estar a faltar em mim, para que exista desarmonia e desequilíbrio na minha vida? Sem querer atribuir culpas a outros, como posso eu mesmo viver melhor e fazer a minha vida melhor?

Se não tivermos estes momentos em que as coisas nem sempre correm bem, não teremos o impulso de querer mudar o que tem que ser mudado. Há que criar condições genuínas para vivermos uma vida cada vez melhor. Aceitar os maus momentos é incrivelmente importante, porque nem sempre tudo tem que correr bem e o que corre mal, por vezes leva-nos ao nosso caminho ainda mais depressa.

Tem força e serenidade.

A diferença entre desenhar símbolos de Reiki ou visualizar

Ao aprendermos os símbolos de Reiki, com o segundo e terceiro níveis, percebemos que os podemos desenhar ou então visualizar. Mas existem diferenças nestes dois tipos de práticas.

Como aplicar corretamente o desenhar ou visualizar os símbolos de Reiki

Os símbolos de Reiki foram uma forma que o Mestre Mikao Usui teve para concentrar a mente dos seus alunos, na prática da energia. Cada um dos símbolos representa um tipo de característica, frequência, intenção da energia universal.

De uma forma simples, estas são as suas características:

  • 1º Símbolo – Ligação à energia e potencia;
  • 2º Símbolo – Harmonia / Purificação;
  • 3º Símbolo – Tratamento à distância / Pensamento positivo;
  • 4º Símbolo – Grande Energia e iluminação.

A prática com o desenho ou visualização dos símbolos de Reiki permite trabalhar, com outra consciência, a aplicação terapêutica, podendo-nos concentrar nas “perguntas e respostas” que o byosen nos traz.

Desenhar os símbolos de Reiki

Praticar o desenho dos símbolos de Reiki permite-nos ter a certeza de que os desenhamos corretamente e, melhor ainda os visualizamos. Esta deve ser a base da nossa prática de devemos ainda ter em atenção que apesar de considerarmos que desenhamos bem os símbolos, de tempos a tempos devemos voltar a praticar o seu desenho.

Desenhar corretamente os símbolos de Reiki permite-te sentir a energia de outra forma e compreender melhor o seu significado. Os símbolos por si não querem dizer nada, mas a energia que eles representam sim é que se torna importante. Tudo é parte da grande Energia Universal.

Visualizar os símbolos de Reiki

Esta é uma opção quando já temos boa prática no desenho ou quando ainda estamos a aprender e não sabemos ainda bem desenhar o 3º Símbolo, por exemplo. Podemos visualizar os símbolos por inteiro, como se fossem uma fotografia ou ainda como se os fossemos construindo com a mente.

Há quem visualize com cores claras, mas há quem visualize a preto, porque é da cor que geralmente aparece nos livros ou nas folhas de prática, portanto é tudo mental.

Quando estás em práticas de voluntariado ao ar livre, por exemplo, é excelente apenas visualizares e não desenhares, para que não interpretem incorretamente o que estás a fazer.

Podes sempre desenhar e visualizar os símbolos de Reiki, não te esqueças de de vez em quando confirmares se estão bem desenhados ou não.

 

Reiki na Revista ELLE de Junho, já nas bancas

A Revista Elle de Junho tem na sua secção Elleness, um trabalho muito interessante, realizado por C.A.P./L.G., para alcançar o bem-estar. Partilho contigo uma parte do artigo…

Elleness – Reiki nas escolhas alternativas, da Revista Elle

ESCOLHAS ALTERNATIVAS

Porque há mais do que um caminho para chegar a Roma, reunimos quatro formas menos convencionais de alcançar o bem‑estar. Quando usado para classificar a palavra terapia, o adjetivo “alternativa” continua a ser, demasiadas vezes, de conotação negativa. Continua a ser a hipótese longínqua. O irreal. O inverosímel.

Uma fantasia não provada. Uma cena naturalista. Foi com o objetivo de desmontar essa aceção baseada em preconceitos que procurámos especialistas na área do Reiki, Aromaterapia, Mindfulness e Acupuntura, que nos explicassem, em concreto, o que são estas cinco terapêuticas, e de que forma podem influenciar o nosso bem‑estar.

Todos nos confirmaram que o adjetivo “alternativo” pode, no contexto terapêutico, voltar ao seu sentido original, bem mais neutro, significando literalmente uma “sucessção de duas coisas, cada uma por sua vez” (de acordo com o dicionário daPorto Editora). Nenhuma destas terapias tem o propósito de substituir a medicina ocidental. Não é uma cabala. Não faz milagres.

Com artigos de João Magalhães (Reiki), Aromaterapia (Tatiana Brito), Acupuntura (Tatiana Brito) e Mindfulness (João Palma)

O tratamento para a toxicodependência através de Reiki

O tratamento para a toxicodependência é algo de complexo, que deve ter sempre uma abordagem muito profissional, ponderada e de grande experiência. Falamos de  tratar uma pessoa que está a atravessar uma dependência física ou psicológica, que afecta tudo aquilo que ela é. Vamos encarar o tratamento para a toxicodependência, através da prática de Reiki, como sendo uma terapia complementar, integrativa, do campo energético e, acima de tudo, vamos observar a pessoa como um todo.

Como realizar um tratamento para a toxicodependência com as técnicas de Reiki

Apesar de conhecer muitos praticantes de nível 1 e 2 que apoiam bastante pessoas com questões de toxicodependência, aconselho que o tratamento seja realizado por alguém que tenha uma boa experiência terapêutica, capacidade de desapego, objetividade e a prática longa do nível 3 de Reiki.

Este tipo de tratamento, recomendado, terá ou poderá ter, a componente presencial e o envio de Reiki.

Tratamento presencial para uma pessoa com questões de toxicodependência

Como o nosso campo é o holístico, ou seja, a observação da pessoa como um todo e trabalha no âmbito energético, devemos também estar em sintonia com o acompanhamento médico que está a ser realizado. Num mundo ideal, toda a equipa devia estar em conhecimento ético do que uns e outros estão a fazer, para que todos estejam a trabalhar com a pessoa para o seu bem comum.

Na prática de Reiki, o tratamento para a toxicodependência vai envolver a aplicação da filosofia de vida e das técnicas de Reiki. Este é um tipo de tratamento moroso, semanal ou poderá até mesmo ser com uma aplicação duas vezes por semana.

A filosofia de vida

A aplicação dos conceitos de filosofia de vida poderão ajudar a pessoa a compreender o que a levou ao momento do primeiro consumo. Este momento, para nós, é importante pois indica a motivação da pessoa, a forma como ela estava e porque razão se entregou a esse consumo. É importante que o terapeuta de Reiki tenha a consciência que não está a fazer o trabalho de um psicólogo ou psicoterapeuta, nem deve de forma alguma interferir com esse trabalho.

A reflexão da filosofia de vida pode ser algo como:

  • Como sentia a minha vida nessa altura? Era descontraída, tranquila? Ou estava muito agitada e sob stress?
  • De alguma forma perdi a minha autoconfiança ou auto-estima? Será que procurei um escape de mim mesmo?
  • Que lições toda essa situação me trouxe? E o momento presente? O que tenho a mudar?
  • Será que realmente me empenho neste processo de autocura?
  • Como devia agir para ser bondoso para comigo mesmo e para com os outros que me rodeiam e intervém neste processo?

Claro que estas são apenas algumas perspectivas do tipo de perguntas que poderás fazer, mas que poderão auxiliar a compreender as situações, o que te irá ajudar no envio de Reiki.

As técnicas de Reiki

Iremos ter em conta três técnicas de Reiki:

  1. Byosen – quer permitirá compreender as várias emanações do desequilíbrio da pessoa desde o físico ao emocional;
  2. Desintoxicação – a aplicação das técnicas de desintoxicação que, conjugadas com a intenção do tratamento poderão auxiliar no processo de homeostasia;
  3. Pensamento positivo – por exemplo, a aplicação do Seiheki Chiryo para o cultivo de atitudes e opções diferentes daquelas tomadas e que levam à toxicodependência.

A aplicação do tratamento será dependente de cada sessão podendo ser aplicado frente e costas ou só frente, ou só costas. Esta parte dependerá da experiência e processo terapêutico do praticante.

Tratamento ausente e envio de Reiki à distância

O envio de Reiki à distância, para este tipo de situações, poderá ter alguns reflexos complicados para o terapeuta. Vamos lembrar-nos que o byosen, ou seja, a irradiação do desequilíbrio, manifesta não só as condições da pessoa, mas no caso do envio de Reiki, também as do espaço onde possa estar.

Assim, o terapeuta tem que lidar com duas reações, a da pessoa e a do ambiente envolvente, pelo que poderá trazer-lhe algum tipo de byosen menos agradável e, por isso mesmo, é recomendável que tenha já bastante prática nestes tópicos.

É claro que não podemos pensar que por a pessoa estar em determinada condição é sempre isto que acontece, pois na verdade não é assim, no entanto, é meu dever alertar para as situações que possam ser mais difíceis e até mesmo comprometedoras do bem-estar do praticante.

Assim como é necessário haver compromisso presencial, também o é no envio de Reiki, pois se a pessoa em questão não souber o que está a ser feito, como poderá mudar? A energia não faz milagres, apenas auxilia a pessoa a ter mais força para a sua própria consciência.

Mesmo o envio de Reiki à distância deve ser feito como complemento ao tratamento presencial, para as situações que levaram a pessoa a consumir, para o seu equilíbrio do momento presente e também como auxiliar para o estado futuro que pretende alcançar.

A pessoa com questões de toxicodependência deve estar comprometida com um tratamento oficial e médico apropriado.

Ter muita atenção à preparação do espaço terapêutico ao fazer o envio de Reiki.

Sintonizar uma pessoa com questões de toxicodependência

Podemos também considerar ainda outra situação – a aprendizagem da prática de Reiki. Após algumas sessões de Reiki, que auxiliarão ao equilíbrio e harmonia da pessoa, a sintonização poderá trazer benefícios à pessoa, porque em primeiro lugar irá compreender a filosofia de vida e aplicá-la diariamente, depois, porque irá aprender a cuidar de si mesmo e esse processo poderá dar a força interior que pode necessitar para auxiliar todo o tratamento médico que está a ser feito.

Para o Mestre de Reiki o processo poderá não ser tão simples quanto parece, por isso mesmo recomendo a leitura atenta do livro Reiki a Energia Universal.

 

Como fazer autotratamento Reiki quando não se está a conseguir

O autotratamento Reiki parece ser uma missão impossível, quando passamos por algumas situações perturbadoras. Claro que podemos pensar que é sempre fácil retomar, mas não é. Por isso mesmo, temos que tentar compreender as suas causas.

Como retomar o autotratamento Reiki após alguma situação perturbadora ou traumática

Cada pessoa tem uma forma muito própria de lidar com as situações que encara na vida. O que para uns é muito fácil de resolver, para outros é algo de perturbador, senão mesmo traumático. Quando uma situação destas surge, pode trazer perturbação à nossa prática de Reiki. Nestes casos, tenta refletir no seguinte:

  1. Continuo a sentir a ligação à Energia Universal?
  2. Como sinto a minha ligação com a vida? Como escuto o Universo?
  3. Como sinto que a vida está à minha volta?
  4. O que eu sinto que ando a fazer?
  5. Como estão os meus objectivos de vida?
  6. Sinto-me fechado para comigo mesmo? Fechado para com os outros?
  7. A partir de que situação é que fiquei assim?
  8. Porque sinto que não consigo dar a volta e não consigo aplicar Reiki a mim mesmo?

Reiki é algo de verdadeiramente extraordinário pois representa a nossa conexão com a vida, com a vitalidade, com a sabedoria do Universo. Se passas por algo que irá abanar a tua estrutura, essa ligação poderá ficar “em risco”, temporariamente. Ou seja, poderás perder a tua conexão com o sentido da vida e começares-te a afundar no problema, sem ver as soluções que essa mesma questão te traz.

Se o teu propósito é mesmo retomar o autotratamento, não queiras começar a maratona sem antes treinar, ou seja, vamos pelo princípio e aos poucos:

  1. Do 1º ao 3º dia – Começa apenas por colocar as mãos no chakra cardíaco, durante quinze minutos e, sempre que queiras, recita os cinco princípios sinceramente;
  2. Do 4º ao 8º dia – Aplica apenas Reiki com uma mão no chakra cardíaco e a outra no plexo solar. Quando quiseres, mantém a mão no cardíaco e a outra coloca num sítio onde sintas necessidade;
  3. Do 9º ao 14º dia – Aplica Reiki no chakra cardíaco, no chakra raíz e joelhos. Se quiseres, podes colocar noutras posições também;
  4. Do 15º ao 18º dia – Aplica Reiki na cabeça e no chakra cardíaco;
  5. Do 19º ao 21º dia – Faz o autotratamento completo e experimenta recitar os cinco princípios em cada posição.

Claro que isto tem a ver com a aplicação do autotratamento, mas e porque não fazeres depois um trabalho mais profundo?

Caso tenhas o nível 2 ou 3, a cada situação que surja durante o autotratamento, envia Reiki para ela.

Ser mais positivo com a prática de Reiki

Qualquer um quer ser mais positivo na vida, ou seja, encarar os problemas com uma atitude serena, relacionar-se construtivamente com as pessoas, viver cada momento mais plenamente e com maior felicidade. Ser mais positivo na vida pode também ter um caminho através da prática de Reiki.

Como Reiki te pode ajudar a ser mais positivo na vida

Se queres ser mais positivo então tens que perceber o que te levou a encarar a vida de uma forma menos positiva. Para isso podes, por exemplo, escrever num papel uma questão que estejas a encarar de forma negativa. Esta será uma atitude a resolver. Por exemplo o conflito com um colega de trabalho.

Vamos observar de que forma este relacionamento te está a afectar através dos cinco princípios:

  1. Sou calmo – De que forma esta situação te está a tirar a calma e paz interiores?
  2. Confio – Perdeste a tua autoconfiança ou a confiança na outra pessoa, em que momento?
  3. Sou grato – Que lições tu podes tirar desta situação?
  4. Trabalho honestamente – Faz uma observação sincera sobre as tuas reações e as da outra pessoa. Como achas que interferem uma com a outra?
  5. Sou bondoso – Como podes levar a bondade a esta situação? Ou porque perdeste o teu coração com esta situação?

Este tipo de reflexão ajuda-nos a enquadrar o que se passa connosco e a nossa relação com o outro. Depois, precisamos reforçar a nossa forma de estar e ser mais positivo na vida.

Não é de um momento para o outro que alguém se torna mais positivo, mas é um percurso que se vai construindo, por vezes com alguma dor pelo meio, mas não nos podemos esquecer da alegria de percorrer o caminho que nos levará mais longe, aproveitando uma vida genuinamente pacífica e feliz.

Com a prática de Reiki, poderás desenvolver a consciência que te permite ser mais positivo ao longo dos vários desafios de vida. Não quer dizer que isto seja uma promessa, ou que realmente Reiki será algo de bom para ti, nem sempre faz sentido para todos, no entanto, ficam aqui as dicas do que poderás fazer com a prática de Reiki.

A prática de Reiki para ser mais positivo

Em primeiro lugar, precisas compreender o que é a filosofia de vida e o conceito da “Arte Secreta de Convidar a Felicidade“. O Usui Reiki Ryoho foi desenvolvido para que pudesse ser praticado por qualquer pessoa, no entanto, há que fazer sentido pois não é apenas uma prática energética, é também uma filosofia de vida e assim, é indicado que cumpramos essa filosofia de vida nas nossas questões quotidianas. Por isso, faz frequentemente uma revisão de vida através dos cinco princípios e mesmo na loucura do trânsito ou nos apertões dos transportes públicos, recita os cinco princípios e compreende as suas lições.

Depois, aplica-te no autotratamento, é cuidar de ti, por isso há uma razão para o fazeres. Lembra-te do que o Mestre Usui dizia… Só por hoje, porque hoje é que pode fazer toda a diferença.

Compreende as técnicas de Reiki e faz uso do Nentatsu, a técnica para alcançar o pensamento positivo, pois irá ajudar-te a construir uma atitude positiva genuína, uma mudança de pensamento o que te levará a ser mais positivo.

E claro, não te esqueças de meditar regularmente, por isso aplica-te com o Joshin Kokyu Ho, a grande técnica da respiração.

Ser mais positivo perante as questões da vida não é algo que se alcance num minuto, ou até num ano, mas é um trabalho construtivo do qual deves ter orgulho de ti mesmo por o realizares. Experimenta ler Reiki Guia para Uma Vida Feliz, para que compreendas a profundidade da filosofia de vida, na prática de Reiki. Escuta os poemas do Imperador Meiji para as tuas situações e partilha com os outros os grandes ensinamentos que a vida te trouxe.

Ser mais positivo na vida é entregares-te à vida de uma forma harmoniosa, confiante, com gratidão, honestidade e bondade. Tudo isso que queres para ti, leva também aos outros. Só por hoje…

Aproveitar o caminho pelo Reiki

Todos queremos fazer o caminho que nos possa guiar a algo bom e assim, muitos escolhem o Usui Reiki Ryoho como sendo o caminho para alcançarem uma vida mais pacífica e feliz. Mas será que o caminho é feito com vista a uma meta?

Aproveitar e viver o caminho da prática de Reiki

Muitas vezes temos em mãos algo que é incrivelmente bom, pelo menos achamos que vai ser mesmo bom e então esforçamo-nos muito para alcançar o seu fim, para termos aquele objetivo que nos vai permitir dizer “já cheguei aqui”. Ao fazer o caminho da prática de Reiki vamos precisar de nos lembrar de ensinamentos muito importantes:

  1. O mais valioso não é o fim, mas sim a forma como vives o caminho;
  2. O que queres aplicar aos outros, experimenta primeiro em ti;
  3. Somente a prática traz crescimento;
  4. Quando pratico Reiki, pratico Reiki;
  5. Leva a prática às coisas mais comuns do teu dia-a-dia, podes aplicar Reiki em ti mesmo a ver televisão, assim como podes aplicar os cinco princípios aos teus problemas no trabalho;
  6. Lembra-te da missão do Usui Reiki Ryoho – Guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a sua felicidade e a nossa;
  7. As técnicas ajudam-te a aprimorar a prática e, acima de tudo a tratares melhor de ti mesmo;
  8. Encara a vida com alegria, sorri enquanto praticas;
  9. Observa as tuas questões com a felicidade de quem fez uma grande descoberta – tornaste-te consciente;
  10. Pratica meditação Joshin Kokyu Ho, por exemplo, para desenvolveres a tua concentração;
  11. A respiração é essencial na prática de Reiki;
  12. Lembra-te da tua ligação à Terra e realiza-te aqui;
  13. Faz amizades, cultiva afinidades;
  14. Vive em harmonia e transporta-a para os outros;
  15. Capacita as pessoas e nunca diminuas alguém;
  16. Escuta sempre o que a vida tem para te dizer, por vezes também fala pelos outros;
  17. Não te deixes enganar pelo caminho dos outros, cada um percorre o caminho da sua forma própria;
  18. Não te deixes enganar por frases feitas e ensinamentos sábios, mas que parecem demasiado distantes da tua realidade – duvida e pratica;
  19. Sê diligente e persevera, por vezes é preciso voltar atrás, mas também nisso o caminho se pode revelar maravilhoso, pois nunca vivemos duas vezes da mesma forma;
  20. Constrói um coração de uma bondade e compaixão gigantes, para que possa abarcar todo o mundo, mas sempre com muita inteligência e sabedoria;
  21. Aprecia a vida, respeita a vida, protege a vida. Não deixes que a ignorância te prejudique e prejudique os outros, vive com profunda paz e alegria, pois elas estão dentro de ti.

Estes são alguns dos exemplos que podes tomar para o teu caminho pelo Usui Reiki Ryoho. Como vês, esta é uma prática que merece ser vivida com atenção plena, como uma filosofia de vida positiva, humana, universal e que tem muito a dar… Só por hoje, um dia de cada vez.

Lembra-te também que não estás só neste caminho, que muitos outros o fazem também e que, apesar de sermos diferentes, devemos procurar o concílio, as pontes, o trato afável e o sorriso genuíno.

O caminho do Reiki é um tempo de crescimento, não é fácil, por vezes é duro, pode ter ilusões e muitos enganos, mas isso é algo de exterior a ele, nada tem a ver com os ensinamentos. Por isso mesmos, mantém-te firme na tua aprendizagem, ela fará sentido na mente e no coração. Lembra-te sempre de ler e escutar os ensinamentos do Mestre Usui, ele compreendeu o que era a Energia Universal.

Quando estamos sem energia como pode Reiki ajudar?

Se os teus dias são passados sem energia isso pode querer dizer que estás mesmo muito esgotado, em vários sentidos. A prática de Reiki pode auxiliar-te na perspectiva energética e, já sabes, consulta também um médico para verificar se não há algo de físico a acontecer.

Como nos tratar quando estamos sem energia

Sentir o corpo sem energia, a mente confusa, cansada, as emoções difíceis de gerir, podem levar-nos numa espiral de maior exaustão e irritabilidade. É uma saturação comum quando há muita pressão exterior, muita exigência no cumprimento de tarefas e pouco tempo para a própria pessoa poder descansar, sentir-se e relaxar.

A prática de Reiki indica-nos três aspectos que são importantes observar:

  1. O autotratamento;
  2. A compreensão dos centros energéticos;
  3. O enraizamento e a meditação.

O autotratamento para quem está sem energia

Realizares o autotratamento será muito importante, vai ajudar-te a estares um momento contigo mesmo, o que te permitirá descansar e ter uma certeza interior que sabes cuidar de ti, irá também ajudar-te a compreender que chakras estão em desequilíbrio e partes do corpo mais debilitadas. Trabalha bem a tua intenção, para que possas entender bem o que se passa em ti.

Entender os chakras quando estamos sem energia

Tenta compreender o que o teu corpo comunica. Que partes do corpo achas que estão vazias, onde costumas colocar as mãos ao longo do dia. Por exemplo, tapar a barriga e a cabeça. A partir daí, tenta compreender o significado de cada chakra e o que isso representa em relação às tuas questões do momento presente.

Esse entendimento irá ajudar-te também a fazer um tratamento específico. Por exemplo, se tens o plexo solar mais fraco, poderás colocar uma mão no chakra cardíaco e outra no plexo solar e assim deixar a energia harmonizar-se.

Os chakras são também centros de consciência. Observa o que cada um te quer transmitir. Uma boa forma de os sentires é compreenderes o seu byosen.

Como aplicar o “estar no aqui e agora”

Quando estamos sem energia há sempre uma espécie de impossibilidade de estar no momento presente, queremos fugir da confusão, da pressão, estamos presos em pensamento do passado ou mesmo a ansiedade do futuro, por isso mesmo, precisamos aplicar a sabedoria do Só por hoje.

Para que possas estar no momento presente, pratica várias vezes ao longo do dia, principalmente ao tomar decisões, o enraizamento. Depois, faz também várias vezes ao dia a meditação Joshin Kokyu Ho… podes ir à casa de banho e tiras dois minutos para respirares e estares de mente vazia. O ideal desta técnica é conseguires centrar-te na respiração em cada desafio que se apresenta a ti. Ao invés de reagires logo, respira… inspira, expira… só depois reages.

Estar sem energia é um grande desafio e tem-se tornado cada vez mais comum na nossa sociedade devido às imensas solicitações, aos horários dos filhos, das escolas, do trabalho. Então, precisamos também repensar na nossa corrida diária, fazer com que tudo colabore e não com que tudo recaia sobre nós. A responsabilidade é importante, mas a vida não é para ser vivida como se fossemos uma ilha. É preciso também saber aproveitar o dia, nem que seja só por cinco minutos, ou por vinte minutos a fazer o autotratamento.

Pode um Mestre de Reiki ficar doente? Será que é o trabalho que o faz mais doente?

A prática de Reiki está cheia de mitos e um deles é se um Mestre de Reiki pode ficar doente, ou como pode ele ficar doente se pratica Reiki? Esta é uma questão que precisa ser bem reflectida.

A doença no Mestre de Reiki e porque surgirá

A doença é algo de natural na nossa vida, representa um momento de desequilíbrio e desarmonia, ao qual o nosso corpo irá reagir. Reiki, a Energia Universal, é parte de nós e ajuda-nos a manter a homeostasia do nosso sistema vivo. Um Mestre de Reiki é um praticante que deve manter o seu autocuidado regular, é alguém que trabalha proficientemente com a energia e, deve estar em harmonia, em sintonia, com este fluxo de vida.

Mas como pode então, um Mestre de Reiki ficar doente?

A resposta é muito simples –  ele fica com tanta probabilidade de estar doente, como qualquer outra pessoa. Será que afirmar isto significa que praticar ou não praticar Reiki é a mesma coisa?

Não é. De facto, a prática de Reiki pode ser profilática para o desequilíbrio e desarmonia da pessoa, mas isso não quer dizer que ela nunca irá ter mais doença, pensar isto é absolutamente errado. Se estiver na condição da pessoa, podemos até pensar em termos genéticos, ela poderá mesmo ficar doente e isso não tem a ver com ser ou não ser praticante de Reiki, mas sim com algo que faz parte dela.

Assim, fica desfeito este mito – um Mestre de Reiki é uma pessoa com condições e algumas dessas condições poderão conferir doença, ou seja, um período de desequilíbrio e desarmonia, que não pode ser evitado, no entanto, deve ser tratado.

Algumas situações que podem trazer desequilíbrio

No caso dos Mestres de Reiki, não há apenas a componente do tratar os outros, mas também a do ensino. Um Mestre de Reiki realiza sintonizações e ensina praticantes de Reiki, o que o leva a grande “partilha” de energia e também aos desgastes aos quais os professores e formadores estão habituados. Nem sempre é fácil lidar com situações complicadas que surgem e nem sempre se consegue digerir todas as situações pressionantes que nos trazem, é por isso que a meditação é também algo de muito importante e por isso mesmo é que o Mestre Usui nos indicava… “Só por hoje“.

Poderão os tratamentos de Reiki a outros contribuir para a doença do Mestre de Reiki?

A resposta a esta questão pode trazer imensa confusão a quem não ler corretamente ou não enquadrar corretamente a resposta. Vamos ver por dois prismas:

NÃO! Os tratamentos de Reiki a outros não contribuem para a doença do Mestre de Reiki. Não é por tratar os outros energeticamente que iremos ficar com os seus desequilíbrios e desarmonias. Essas questões não são contagiosas, como algumas doenças físicas.

Sim/talvez. Os tratamentos de Reiki a outros podem contribuir para o desequilíbrio do Mestre de Reiki se este não cuidar de si mesmo. Isto acontece porque quando se lida com energia densa, continuamente, esta poderá causar pressão sobre o corpo energético do praticante, mas isto não quer dizer que a prática de Reiki causa doença a quem a pratica! É um pouco como quem está inserido num ambiente stressante, há quem lide bem com esse ambiente e nada se passa, mas há quem não lide bem e fique mal. Por isso mesmo, um Mestre de Reiki ou um Terapeuta de Reiki devem ter um cuidado rigoroso consigo mesmos.

Mesmo tendo todo o cuidado, o Mestre de Reiki pode ficar doente, porque essa doença fará parte da sua condição. Será de grande prejuízo alguém criticar um Mestre de Reiki por este estar doente, pois nada tem a ver com algo de errado que ele esteja a fazer. É quase como ver alguém doente e dizer “bem feita que estás doente” e claro que todos sabemos que pensar sequer, é absolutamente errado.

Quando se deve parar de trabalhar em Reiki, quando se está doente?

Deve-se parar de trabalhar para repor os níveis energéticos, para equilibrar a mente e o coração e descansar o corpo. Devemos sempre seguir estas regras.

Claro que ninguém sabe quando está doente, só mesmo quando o desequilíbrio está bem alojado é que se começam a manifestar situações que apontam para algo estar mal. Portanto, a maior parte das pessoas está a trabalhar estando doente, só mesmo quando pioram, ou quando os efeitos são mais manifestos, é que compreendem as suas condições.

Se estiveres sob o efeito de medicação forte, considera dar também um tempo de descanso, o que é obrigatório quando há intervenção de quimio ou radioterapia, para que o corpo se possa restabelecer corretamente.

Ser Mestre de Reiki é compreender aquilo que o Mestre Usui indicava “É para a melhoria da mente e do corpo” e isto quer dizer que a nossa prática deve ser sempre avaliada e o descanso é obrigatório. Devemos fazer autotratamento e também receber Reiki regularmente.

Estudar mais sobre todas as competências de um Mestre de Reiki

No livro Reiki A Energia Universal, poderás encontrar várias partilhas sobre o que nos leva a ser Mestres de Reiki, o esforço e dificuldades no percurso, o que ensinar e como, assim como, muito importante, a necessidade do nosso próprio autocuidado.

Ser Mestre de Reiki não é apenas ter completado o ciclo de aprendizagem no Usui Reiki Ryoho, é comprometer com a missão que o Mestre Usui nos legou e observá-la bem, não só para os outros, mas também para nós.

Se estás doente, não te preocupes pois não fracassaste em nada, faz parte da tua condição e deste momento de vida. Por isso mesmo, faz os teus exames, tratamentos e recebe também Reiki de outros, para te auxiliar neste momento. Todos precisamos desta troca, ela faz parte da vida e traz-nos sempre grandes lições.

Como Reiki te pode ajudar a tomar decisões

Já alguma vez sentiste dificuldade em tomar decisões e não sabes por onde começar? Sem dúvida que tomar decisões deve ser algo feito por nós mesmos, pensado e sentido por nós, não por outros e, por vezes, a dificuldade pode estar em termos linhas guia que nos auxiliem a enquadrar bem a situação. A prática de Reiki pode ajudar-te de várias formas e aqui fica como o podes fazer.

Como tomar decisões através da prática e reflexão com Reiki

Para tomar decisões devemos estar com os “pés bem assentes na Terra”, isso quer dizer que para nós, praticantes de Reiki, devemos estar bem enraizados. Então, deves observar como está o teu enraizamento e se o estás a conseguir fazer no momento de tomar decisões.

Para auxiliar neste equilíbrio, deves ainda manter o teu autotratamento completo. Isto vai-te ajudar a compreenderes o que possa estar em desequilíbrio, para que possas tratar ou pedir a outra pessoa para te ajudar a tratar. Fá-lo, por exemplo, durante uma semana seguida.

Depois, podes usar os cinco princípios para refletir sobre a decisão, por exemplo:

  • Só por hoje, sou calmo – de que forma esta decisão me trará harmonia;
  • Confio – porque não confio em mim para tomar a decisão que devo? O que me falta?
  • Sou grato – que aprendizagens há a tirar desta tomada de decisão?
  • Trabalho honestamente – o que devo fazer para tornar esta decisão realidade?
  • Sou bondoso – a decisão que tenho a tomar será boa para mim e para todos?

Tens ainda algo que te poderá auxiliar em todo o processo, que é a prática meditativa, que auxiliará a teres uma mente limpa e um coração predisposto – o Joshin Kokyu Ho, que poderá ser aplicado 15 minutos por dia.

Para terminar em grande, nada como mudar a atitude e cultivar o pensamento positivo com a técnica Nentatsu.

Reiki pode auxiliar no teu momento de tomar decisões, mas claro que só tu poderás tomar decisões por ti. O importante é criares boas condições e fundamentares o teu percurso de vida com o melhor caminho para ti e para todos.

 

Page 1 of 113

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén