O Tao do Reiki

Descobrir, Desenvolver e Crescer com Reiki

Como retomar a prática de Reiki com o nível 1

Se aprendeste há muito tempo e pretendes retomar a prática de Reiki do teu nível 1 podes fazer tendo em conta duas perspetivas que te podem ajudar. 1) Iniciares o processo de autotratamento de nivel 1 de Reiki; 2) Pedires ao teu Mestre uma nova sintonização ou iniciares um novo curso.

Retomar a prática de Reiki

Reiki é mesmo algo de muito positivo para nós. Não quer dizer que apenas devemos aplicar a energia quando estamos mal, mas devemos também ter o cuidado preventivo de fazer autotratamento para trazer equilíbrio e harmonia a todo o nosso ser. Vamos então ver as duas formas de retomar a prática de Reiki.

Iniciares o processo de autotratamento para retomar a prática de Reiki

Se já não praticas há algum tempo, mesmo que há anos, a tua percepção da energia poderá estar mais “enfraquecida”, tudo por uma questão de falta de prática e pelo próprio canal energético poder ficar mais “estreito”, pela ausência de um fluxo mais intenso.

Uma boa forma de retomares a tua prática é mesmo pelo autotratamento, para isso, ao longo de 21 dias, podes aplicar o autotratamento como te foi ensinado.

Estas são algumas indicações para retomar a prática de Reiki através do autotratamento, tenta observar sim, como foi indicado pelo teu próprio Mestre pois poderá ser diferente.

  1. Limpeza

    Começa pelo banho seco e enraizamento, é importante o estares no momento presente e também escoares a energia mais densa que possas estar a limpar.

  2. Ligar à energia

    Com as mãos em gassho, deixa a energia fluir para a mente e para o coração, recita os cinco princípios.

  3. Aplicação do autotratamento

    Aplica a energia às posições de mãos que aprendeste e deixa tudo acontecer, sem expectativa.
    Nos tratamentos seguintes, tenta voltar aos conceitos do byosen, para compreenderes como a energia se manifesta nas tuas mãos.

  4. Fecho do autotratamento

    Quando terminares, se sentires que o autotratamento foi muito exigente, volta a fazer o banho seco. Caso não tenha sido, podes terminar com os cinco princípios, deixando-os ecoar em ti.

Sintonização para retomar a prática de Reiki

Poderás pedir ao teu Mestre de Reiki para que volte a fazer a sintonização do nível 1 e depois retomas a prática de autotratamento e regressas às suas aulas, para fundamentares a tua prática.

Caso queiras, podes mesmo iniciar um curso de Reiki, receber novamente a sintonização e começar do “zero”. É claro que um praticante de Reiki numa recomeça do zero, mas se já passou muito tempo e sentires essa necessidade é algo a ter em mente pois já muitas práticas foram redescobertas e a orientação do método pode ser diferente daquele que aprendeste.

A filosofia de vida para retomar a prática de Reiki

Apesar deste ser o último tópico, a filosofia de vida é, sem dúvida, a parte mais importante que deves ter em consideração para retomar a prática de Reiki. O método é mesmo assente num propósito – Guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a sua felicidade e a nossa própria. Isto era o que indicava o Mestre Usui e, escutando estas palavras, compreendemos o sentido dos cinco princípios. Eles realmente existem para a nossa transformação e elevação da consciência.

Então começa mesmo por aí, regressa a uma prática constante dos cinco princípios, não só os recitando diariamente, mas também compreendendo a importância que eles têm para a resolução das tuas questões de vida.

Os cinco princípios são como uma bússola para a nossa orientação e eles irão trazer-te muitas respostas às tuas muitas perguntas… confia.

Se quiseres ler um livro para te apoiar o teu retomar à prática, posso aconselhar O Grande Livro do Reiki, que é um manual prático para todos os níveis e muito mais.

Uma pessoa tóxica pode não o ser para outros – a perspetiva positiva de Reiki

O conceito de pessoa tóxica significa que é alguém que traz um desconforto, sofrimento, de forma contínua a outra pessoa. É como se sentíssemos que somos um lago límpido e que a aproximação dessa pessoa o contamina, deixa sujo.

Mas o conceito pode estar demasiado limitado e levar-nos a julgar o outro de uma forma que nos traz ainda mais sofrimento. Vamos observar como Reiki nos pode ajudar a compreender uma pessoa tóxica e como também nos pode ajudar a ultrapassar essa dificuldade.

A perspetiva positiva de Reiki sobre uma pessoa tóxica

Muitas vezes na vida surge alguém que, pelas suas características, torna-se uma pessoa tóxica para nós. Parece ser como uma sanguessuga, uma sombra, um parasita, um virus, algo que consome e destrói de forma mais lenta ou rápida a nossa harmonia emocional, mental, física e energética. 

Quando vemos alguém assim, queremos a maior distância possível e consideramos aquela pessoa tóxica como alguém que não pode ser boa pessoa, mas na verdade, não é bem assim, há uma outra perspetiva que poderá trazer-nos maior entendimento e compreensão sobre essa pessoa e a sua atitude.

A prática de Reiki requer uma mudança de consciência para alcançarmos a vida pacífica e feliz que todos pretendemos. Esta mudança ela não ocorre apenas por fazermos o autotratamento ou recebermos Reiki de alguém, mas sim pelo trabalho continuado, diligente e harmonioso dos cinco princípios de Reiki.

Através desta tomada de consciência, compreendemos que uma pessoa tóxica o poderá ser para nós, mas poderá não o ser para outros. Para nós, ela faz-nos sofrer, mas também está em sofrimento. Compreendendo isto podemos perceber que não existe harmonia entre nós porque ambos estão a sofrer.

Se olharmos para esta situação através da sabedoria dos cinco princípios, poderemos ter mais entendimento e menos sofrimento:

  1. Só por hoje sou calmo

    O outro está em sofrimento, sem a minha harmonia, não o entenderei. Sem uma harmonia conjunto, não haverá serenidade.

  2. Confio

    Preciso confiar em mim, porque duvidar de mim faz com que o outro me possa afectar mais. Esta confiança irá promover a minha autoestima.

  3. Sou grato

    Na verdade, que lições tenho a tirar desta situação? Porque esta pessoa surgiu na minha vida e eu na vida dela? O que há a aprender em comum? E individualmente?

  4. Trabalho honestamente

    Será que tenho comunicado o sofrimento que me causa? Tenho-o feito da melhor forma?

  5. Sou bondoso

    Como poderei resolver esta relação com a pessoa tóxica sendo bondoso para comigo e para com todos os envolvidos.

O poema 90, caminho, do Imperador Meiji, também nos ajuda a refletir sobre este tema:

Mesmo se ficares para trás das outras pessoas com quem estavas a ir, não percas o caminho que deves seguir. Quando todos estão a ir pelo mesmo caminho, pensas que estás a ir no caminho certo, mas isso nem sempre é o caso. Então, julga o caminho com cuidado.

Conviver com uma pessoa tóxica, ou que pelo menos nós consideramos tóxica não é fácil, porque como o próprio nome indica ela irá atingir-nos com algo e retirar-nos a harmonia que temos, mas essa pessoa é também uma grande lição para nós, ela na verdade pode ajudar-nos a uma transformação incrível na nossa vida. Aquilo que nos afeta é aquilo que ainda precisa ser trabalhado.

Então, nem sempre o resultado de conviver com uma pessoa tóxica é a cisão, por vezes há uma transformação terapêutica que resulta numa pessoa saudável e numa relação saudável.

O sofrimento precisa ser compreendido e a decisão sobre lidar com esse mesmo sofrimento é de cada um, ninguém poderá dizer por ti o que fazer melhor. Tenta sim o teu melhor e cada decisão que tomes será também a melhor que tens, nesse preciso momento de consciência.

Lembra-te que tu mesmo podes ser considerado uma pessoa tóxica para outrem, apesar de não o considerares ser. A prática de Reiki ensina-nos a olhar para cada pessoa como única, a sua questão é única, o seu percurso terapêutico é único. Mas ajuda-nos também a compreender que tudo está interligado e que o propósito final é a harmonia.

O livro Reiki Guia para Uma Vida Feliz pode auxiliar-te a desenvolver mais a perspetiva da filosofia de vida e a atitude positiva na prática de Reiki.

Sentir a dor dos outros num tratamento de Reiki

Por vezes os praticantes de Reiki têm uma percepção que é sentir a dor dos outros que nem sempre é identificado, ou então é reconhecido e provoca-lhes algum pânico.

Sentir a dor dos outros não é exclusivo da prática de Reiki e qualquer pessoa pode ter condições para que isso aconteça, está muito relacionado com a empatia e com o Chakra do Plexo Solar.

Sentir a dor dos outros

A empatia de sentir a dor dos outros não é um poder ou um dom, é uma característica natural que algumas pessoas têm mais evidente e outras não. Um terapeuta de Reiki ou um praticante de Reiki de qualquer nível, não necessita sentir a dor dos outros para realizar corretamente o tratamento, mas quando isso acontece, é preciso compreender o que é e como lidar com a situação.

Ao sentir a dor dos outros podes ter em mente o seguinte:

  1. Avaliação da empatia

    É importante compreenderes porque sentes empatia por alguém, ou se é algo de inconsciente, porque a tua atenção se espalha tanto?
    Este espalhar de atenção significa que a energia da tua aura está demasiado atenta a tudo o que a rodeia e isso pode levar-te à exaustão ou até a situações de ansiedade.

  2. A condição do teu chakra do plexo solar

    Se há muita ligação poderás estar com alguma questão sobre o teu poder pessoal. Como tem estado o teu Chakra do Plexo Solar?
    Observa o seu comportamento e a tua própria gestão emocional, a forma como te ligas, o que necessitas e os resultados que isso tem na tua vida.

  3. Aplicar o tratamento necessário

    Sentir a dor dos outros é também uma chamada de atenção da energia da outra pessoa. Ela apenas te está a pedir que a ajudes, por isso não tenhas medo. Trata-a. Onde sentires a dor poderá ser o local onde a pessoa está a sentir a dor, ou até poderá ser o reflexo, o espelho, por isso mesmo tem atenção e se te fizeres de “adivinho”, as coisas podem não correr exactamente como esperas. Nada como prestar atenção à energia e indicar “já percebi, já irei tratar”.

  4. Enviar Reiki

    Se não podes tratar a pessoa presencialmente e sentes a sua dor, envia Reiki à distância para ela, se já tens o segundo ou terceiro nível de Reiki. Ou pede simplesmente que a energia flua para a pessoa, para o seu equilíbrio e harmonia.

  5. Terminar a ligação

    Este é um passo muito importante. Tens que cortar a ligação com a pessoa e isso pode ser mentalmente ou então através do teu banho seco.

Sentir a dor dos outros é um processo muito natural e quanto mais compreendido for, mais tu o conseguirás resolver. É por isso mesmo que é necessário ir às aulas de Reiki e trabalhar cada vez mais, para desenvolver entendimento e capacidade.

Como fazer o enraizamento a outra pessoa num tratamento de Reiki

O enraizamento é um conceito energético e uma prática de mentalização que nos auxilia a estar mais conectados à energia da Terra, uma concentração maior no momento presente e o veículo necessário para escoar energia.

Este é um conceito muito interessante para praticantes de Reiki, não só para autotratamento como também no tratamento de Reiki a outros.

O enraizamento quando se aplica um tratamento de Reiki a outra pessoa

Quando estás a aplicar Reiki a alguém, poderá ser interessante fazeres o enraizamento se sentires:

  1. O corpo a abanar;
  2. Absorção da energia densa;
  3. Desconcentração.

Mas a prática é também importante para a própria pessoa que está a receber Reiki, porque há alturas em que é necessária uma circulação e escoamento de energia e tal não acontece por a pessoa estar “bloqueada”.

Podes fazer o enraizamento a outra pessoa de várias formas:

  1. Visualização

    Visualiza o chakra raiz da pessoa e imagina que a energia flui do chakra para os pés. Daqui, a energia vai fluindo em direção ao centro da terra, como se fossem raizes que se vão agarrando e indo cada vez mais fundo, até abraçarem o centro da terra.

  2. Desbloqueio do Chakra Raiz

    Neste passo, vamos tratar o Chakra Raiz da pessoa, começando primeiro com as mãos na bacia, depois passa para os joelhos e, finalmente, para os pés. Em cada um dos passos, imagina a energia do passo anterior a conectar-se com a posição onde estás agora, até conseguir fluir pelos pés por completo.

Fazer o enraizamento a outra pessoa durante o tratamento pode ajudar a desbloquear, descongestionar a energia e promover um fluxo que auxilia na eficácia do tratamento.

Poderás ler mais sobre estes conceitos e aprofundar a teoria através do livro Reiki Guia do Método de Cura.

Reiki Guia para Uma Vida Feliz – 3ª Edição de um manual de Reiki para a Filosofia de Vida

Em 2016 foi editado o livro Reiki Guia para Uma Vida Feliz, um manual de Reiki, para todos os níveis, orientado à estruturação e esclarecimento da Filosofia de Vida, na prática de Reiki.

É um livro composto por 528 páginas e ainda com tanto por dizer, é um manual dedicado à Memória do Mestre Mikao Usui e à Arte Secreta de Convidar a Felicidade. Só tenho a agradecer-te por leres este livro e por apoiares, praticares a filosofia de vida que o Mestre Usui nos legou. Acredito que aos poucos, com a mudança de cada um, muito poderá mudar no que nos rodeia.

O que uma terceira edição de Reiki Guia para Uma Vida Feliz significa

A prática de Reiki em Portugal era muito baseada na terapia, naquilo que se chamava a “imposição de mãos”, o que era um conceito importado e conjugado com outras práticas espirituais, muito ao lado do que realmente Reiki representava e de alguns anos para cá, tem vindo a crescer cada vez mais o sentido profundo do Usui Reiki Ryoho e do trabalho valioso que podemos encontrar na filosofia de vida.

Então, encontramos cada vez mais praticantes a compreender o que são os cinco princípios de Reiki, a levá-los para as suas questões do quotidiano, a usá-los nas suas variadas profissões e ainda a trabalhar o aspecto terapêutico com estes mesmos princípios. Isto representa uma visão cada vez mais clara da nossa prática e um cumprir do que o Mestre Usui indicava que Reiki é “Para a melhoria da mente e do corpo“.

Neste livro, estão também publicados os 125 poemas do Imperador Meiji, que o Mestre Usui escolheu, uma tradução direta do japonês e que nos traz uma riqueza de interpretação em relação a outras traduções. Então, encontramos também um outro sentido para a nossa prática, através da meditação, reflexão, através dos poemas do Imperador Meiji.

Reiki Guia para Uma Vida Feliz está escrito para ti, praticante de qualquer nível ou mesmo curioso pela prática de Reiki, pois irá abordar os vários aspectos do nosso método à luz das indicações do Mestre Usui, Hayashi e Takata, com textos dos próprios que te trarão grande compreensão em todos os âmbitos da prática, como é exemplo da seguinte citação do Mestre Hayashi, médico e oficial da Marinha Japonesa.

Mais ainda, neste livro poderás encontrar também as palavras do Mestre Usui, orientadoras, sobre a Missão do Usui Reiki Ryoho:

Este é um livro que espero que te auxilie a ver Reiki cada vez mais como uma prática transformadora, como um pilar de filosofia de vida, uma entre tantas válidas e que pode estar na tua vida e na vida de todos, para uma vida pacífica e feliz.

Informações técnicas sobre Reiki Guia para Uma Vida Feliz

Reiki Guia para Uma Vida FelizTerapias AlternativasJoão MagalhãesEditora NascenteMarço 2016150 x 230 x 29,5 mm528Editora Nascente

Este é um guia acessível que o ajudará a abrir a sua mente para a aprendizagem e desenvolvimento de novas atitudes. É o livro perfeito para todos aqueles que procuram uma filosofia que lhes permita mudar, crescer e redescobrir a beleza da vida, com Reiki. 
Ao percorrer o caminho que aqui lhe propomos, estará a transformar a mente e o coração, convidando a felicidade a entrar na sua vida. Os métodos apresentados são adequados a qualquer sistema e a qualquer nível de Reiki.
Um livro que inclui:
– Princípios para desenvolvimento da filosofia de vida no Reiki, para todos os níveis;
– Apresentação de métodos de cura;
– Textos e citações de sabedoria de alguns dos maiores mestres de Reiki;
– Explicação sobre o que é a energia e como transformar os chacras;
– Programas de meditação;
– Técnicas para o aperfeiçoamento do corpo e da mente.

Cuidados a ter para tratar as costas com Reiki

Reiki é excelente para tratar as costas, mas por vezes, algumas questões podem fazer sobressair e até intensificar a dor se não forem tidas em conta alguns procedimentos.

A aplicação de Reiki nas costas pode ser logo aprendida no nível 1 de Reiki, como parte do tratamento formal e natural que um praticante pode fazer a familiares e amigos.

O que ter em atenção para tratar as costas com Reiki

Se vais tratar as costas de alguém com a energia universal pergunta sempre à pessoa se tem questões físicas ou a tensão emocional faz com que a parte superior do tronco fique tensa. Desta forma, começarás a compreender o estado das costas, segundo a descrição da própria pessoa.

Depois, lembra-te que poderá ser muito útil perceber onde estão os bloqueios na circulação de energia nas costas, por isso, poderás fazer uma avaliação através do byosen. Presta particular atenção à região do chakra laríngeo e do coccix.

Verifica também o enraizamento da pessoa. Por vezes não faz enraizamento, está num processo de retenção e a energia não escoa. Isso faz com que tenha a energia bloqueada e estagnada no corpo, o que poderá levar a dores nas costas.

A acumulação de energia densa nas articulações também poderá trazer bastante dor.

Se a pessoa tiver hérnias ou algum tipo de dor assente na coluna, será preferível que apliques as mãos no corpo (vestido) da pessoa, perguntando se pode ser ou se não se estará a exercer muita pressão, ou até mesmo pedindo para indicar se houver essa pressão. O toque é preferível pois se a dor for algo do género de “energia eléctrica”, ou seja, uma espécie de energia que está um pouco flutuante e inflamada no corpo, então poderá haver um desconforto para o receptor, isto porque a intensidade da energia das mãos do praticante em contacto com a energia “inflamada” nas costas, poderá dar origem a uma dor. Isto não significa que Reiki provoca dor, mas sim que no processo de tratar a dor na pessoa, poderá surgir este desconforto. 

Então, para minimizar o desconforto, é mesmo preferível que seja feita a aplicação de Reiki com as mãos em contacto com o corpo e não ligeiramente afastadas.

A aplicação de Reiki para tratar as costas é algo de absolutamente extraordinário, mas em algumas situações temos que ter pequenos cuidados.

A irritabilidade e os cinco princípios – como a filosofia de vida na prática de Reiki pode ajudar

A irritabilidade surge-nos das mais diferentes causas. Poderá ser porque não estás a fazer o que queres, o que sentes, poderá ser por alguém estar a testar os limites e haver pressão interior, por frustração, por cansaço, por inúmeras outras causas.

Sem dúvida que devemos compreender as causas que nos trazem a irritabilidade e podemos usar os Cinco Princípios de Reiki para nos ajudar nesse entendimento, assim como toda a filosofia de vida da nossa prática.

Os Cinco Princípios de Reiki para a irritabilidade

Não podemos dizer que existe um antídoto para a irritabilidade, mas sem dúvida que a compreensão do que a causa pode trazer serenidade e auxílio à sua resolução. Então aqui fica o desafio para o fazeres através dos cinco princípios de Reiki.

Tudo começa com a nossa concentração e atenção no momento presente, assim começamos com Só por hoje:

  1. Sou calmo

    O que te fez perder a harmonia? Porque e como sentes perder a calma?

  2. Confio

    Perdeste a confiança em ti ou nos outros? Porque?

  3. Sou grato

    Ver-te a ficar irritado não deve ser bonito, como te sentes por isso? Que lição tens a aprender para mudar?

  4. Trabalho honestamente

    Será que tens comunicado toda a questão com honestidade? Por vezes vamos acumulando as coisas.

  5. Sou bondoso

    Ser bondoso é a melhor resposta para tudo, não ser bonzinho. Como te vês a resolver essa situação perante ti mesmo e perante os outros?

Os cinco princípios podem ser uma autêntica orientação para a irritabilidade, por isso escuta-te, revê-te nas situações, sem autocrítica mas sim com sabedoria.

Um poema do Imperador Meiji para a irritabilidade

Os poemas do Imperador Meiji podem trazer-nos uma outra luz sobre a nossa condição, por exemplo, no seu poema 22, o Imperador Meiji indica:


Vais encontrar uma planta útil mesmo num campo cheio de erva. – Imperador Meiji

Mesmo no teu processo de irritabilidade, que tanto transtorno a ti e aos outros possa trazer, poderás encontrar alguma pérola de sabedoria para te iluminar. Essa é a grande tomada de consciência que faz toda a diferença na nossa vida. Observares o teu comportamento e teres sobre ele consciência, fará de ti uma pessoa mais serena e feliz.

Reiki nas Escolas – Portugal é inovador

Portugal é um país muito inovador, também no campo do Reiki e ainda mais no Reiki nas escolas. Desde a fundação da Associação Portuguesa de Reiki, em 2008 que vários projetos foram surgindo e desde o surgimento da Associação de Reiki para Crianças e Jovens que houve um crescimento ainda mais evidente na colocação de Reiki nas Escolas e de Reiki para Crianças. Vamos compreender como surge esta parceria e de que forma a prática exemplar de Reiki em Portugal chega aos mais pequenos.

Aprender Reiki nas Escolas é possível e Portugal está à frente em projetos reais e oficiais

A grande questão que sempre surge é “Porque Reiki nas Escolas? Que sentido faz? É moda?”. Este tipo de pergunta é muito frequente para quem não está numa escola, mas para algumas escolas nem sequer tem formulação. As escolas procuram formas de auxiliar e empoderar os seus alunos, mas no que e para que?

Muitas crianças pedem mais tempo de intervalo para descansarem e conviverem, mais aulas de desporto ou de ar livre para se exercitarem, mas no que toca às suas questões pessoais, as crianças e jovens de hoje têm sentido situações de bullying, de falta de união, convívio e de uma enorme incapacidade de gestão nas situações familiares, nas amizades e nas relações escolares. Tudo isto leva à incapacidade de gestão emocional.

Com tantos estímulos ao seu redor, exigências escolares e sociais, estando muitas vezes afastados da realidade e apenas em contacto com a “realidade” segundo as redes sociais, as crianças e jovens, muitas vezes, sentem-se perdidos

Quando uma escola procura o método Reiki para as suas crianças, ela procura um complemento a todo o grande esforço que os educadores, professores, orientadores e psicólogos fazem. Mas de que forma Reiki pode dar resposta a essa necessidade?

A resposta de Reiki para auxiliar as crianças a serem felizes

O trabalho que é feito, de forma complementar, numa escola, abrange três áreas integrativas:

  • Meditação;
  • Valores e Expressão;
  • Terapia.

Estas três áreas ou três vetores de ação contemplam o relaxamento da criança, ou seja, a promoção de um estado mais harmonioso e equilibrado, o que as auxilia a aumentar a concentração para os estudos, assim como a desenvolver capacidade de gestão emocional, controlando, compreendendo melhor os pensamentos e as suas emoções, não deixando ficar em mente ilusões, mas aprendendo a focar-se no importante para o seu desenvolvimento escolar e humano.

Nos valores e expressão, a criança aborda a filosofia de vida da nossa prática e com esses princípios – Só por hoje, sou calmo; confio; sou grato; trabalho honestamente; sou bondoso – ela aprende a observar as suas escolhas e forma de estar na vida. Podemos dizer que estes são valores universais e não existe qualquer correlação com uma religião ou movimento espiritual, Reiki não tem qualquer tipo de ligação a crenças. Através destas tomadas de reflexão, a criança partilha e expressa-se através de várias actividades que exponenciam a sua criatividade e alegria. 

Finalmente, na terapia, se for essa a opção da escola, as crianças que sejam sinalizadas poderão receber terapia Reiki para as auxiliar na gestão do stress, no equilíbrio emocional, mental e físico, não substituindo o acompanhamento profissional do psicólogo ou de pediatras.

No campo da terapia, também existe a possibilidade de serem dadas sessões aos funcionários da escola e também aos pais. Ou seja, os educadores poderão beneficiar das práticas que são oferecidas às crianças.

Segundo Sílvia Oliveira, presidente da ARCJ:

Professores felizes fazem crianças felizes, pais felizes fazem crianças felizes e crianças felizes constroem um mundo melhor. Reiki é apenas um dos muitos auxiliares para trazer a harmonia entre todos, mas com a vantagem de ser um método muito completo e de simples entendimento. É algo de tão simples que parece ser natural para as crianças.

Quando nos focamos no melhor, no empoderamento, na melhoria das capacidades de cada um, promovendo a calma, confiança, gratidão, honestidade e bondade, encontramos uma das muitas razões para o Reiki nas Escolas ser um sucesso.

Este trabalho também depende do esforço de cada praticante de Reiki, da sua entrega e dedicação, escutando cada criança como ser único, assim como as necessidades e indicações que os professores apresentam.

Reiki nas Escolas, em Portugal, é algo de verdadeiramente inovador, não por ser moda, mas sim por ser eficaz, simples, integrativo, abrangente e adaptável à necessidade particular de cada escola e grupo de alunos.

Levarmos as crianças a saberem gerir as suas emoções, a encontrarem tranquilidade interior e capacidade de expressão é um grande feito que poderá ter implicações muito positivas para a nossa sociedade futura.

O livro de Reiki para Crianças, o Super Reikinho, tem sido um grande auxiliar para a compreensão do que as crianças sentem e de como as auxiliar a tratar com Reiki. De uma forma muito simples e imagética, o livro trabalha a autodescoberta através de um amiguinho que é o Super Reikinho que vai auxiliando a criança numa viagem interior, para o entendimento das suas questões.

Após uma sintonização por vezes podes ficar com pouca energia ao estar em espaços com muita gente

Ao fazeres a sintonização de qualquer nível de Reiki e ao ires para locais com muita gente, podes por vezes ficar sem energia, ou sentires-te esgotado.

Este tipo de sensação por vezes acontece a qualquer praticante de Reiki, incluindo Mestres de Reiki. Não tem a ver com o processo de sintonização que usamos para nos ligarmos à energia num curso, mas sim com a comunicação energética entre pessoas.

O pós sintonização e o sentir a perda de energia em espaços com muita gente

Após a tua sintonização e início de curso de Reiki, tens mais afazeres e poderás ter que ir a um supermercado, a um centro comercial ou até mesmo em situações como transportes públicos ou jantares de amigos. Qualquer uma dessas atividades pode deixar-te exausto passado um pouco e essa exaustão pode trazer-te a sensação de frio.

Isto significa que a tua aura, a tua energia, esteve a comunicar com outras, expandiu-se demasiado e esgotou-se. A própria sensação de bem estar após um curso de Reiki pode levar a pessoa a consciente ou inconscientemente partilhar essa energia.

O que fazer para após a sintonização não se perder energia

Para não perderes todo o teu bem estar a pós a sintonização do teu nível de Reiki, poderás fazer o seguinte ao estares em locais com mais pessoas:

  • Coloca a tua energia a uma distância do corpo de cinquenta centimetros, isso irá ajudar a teres a energia mais concentrada, menos dispersa e comunicativa;
  • Promove o teu enraizamento, para que estejas focado e não muito aéreo, devido à sensação de bem estar e elevação de vibração;
  • Mantém-te centrado e toma atenção à tua própria empatia, poderás perder energia por aí.

Não é a sintonização que faz a pessoa perder a energia, mas o que acontece é que a tua própria sensação de bem estar pode levar-te a querer partilhar, mas como o momento é ainda delicado para ti, poderás perder mais energia do que aquela que pensas. Muito possivelmente no dia seguinte já tudo estará bem.

Para compreenderes melhor as comunicações energéticas e como funciona a nossa aura, podes ler mais em O Grande Livro dos Chakras e da Anatomia Energética.

Numa consulta de Reiki ir testar o terapeuta pode não ter bom resultado

Por vezes podemos estar com o pé atrás e queremos ir testar o terapeuta de Reiki para ver se acerta na questão que temos, mas na verdade, o que poderá acontecer?

É natural alguém ficar com uma certa dúvida sobre o que é uma consulta de Reiki, querer resguardar-se e testar o terapeuta para ver se é algo que vai de encontro ao que está à espera ou não. Mas também há quem o faça para verificar se o terapeuta acerta nas questões que a pessoa tem, na verdade, essa predisposição poderá fazer falhar redondamente todo o propósito da consulta de Reiki

Testar o terapeuta de Reiki para ver se acerta pode não dar bom resultado

Em primeiro lugar há uma razão muito lógica para não se testar o terapeuta de Reiki sobre o acertar nas questões que a pessoa tenha. A prática de Reiki não tem a ver com qualquer tipo de adivinhação, futurologia ou mesmo diagnóstico médico, nesse sentido, um terapeuta de Reiki não tem como trabalho adivinhar as questões que a pessoa tem, perceber o seu futuro ou até ditar doenças que possa ter.

Qual o propósito do terapeuta de Reiki

O Mestre Usui indicava que “A missão do Usui Reiki Ryoho é guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a felicidade dos outros e de nós mesmos”. Com isto, ele indicava que Reiki tem um propósito muito claro, a mudança da consciência e a cura. Sabemos que a mudança de consciência auxilia no processo terapêutico, e bastante, a própria cura é realizada segundo as condições de cada um também pela aplicação de energia. Assim, um terapeuta de Reiki não é um futurólogo, nem faz adivinhação, mas tem um trabalho bastante exaustivo para melhorar a condição de vida da pessoa. Tendo isto em mente, compreendemos que a atitude de ir testar um terapeuta poderá ter um resultado desastroso para a própria pessoa, isto porque:

  • Não está entregue ao processo;
  • Não está confiante no diálogo sobre as questões que tem e não desvela a sua questão;
  • Tem uma determinada expectativa que pode deturpar todo o conceito de uma consulta de Reiki.

Compreendemos então, que este tipo de expectativa e ocultação do diálogo, pode levar o terapeuta a ter uma ação menos orientada ao verdadeiro problema. É como se nós chegássemos ao médico de família e indicássemos que temos dores de barriga, quando na verdade temos dores no peito, mas estamos apenas a ver se o médico consegue descobrir que temos mesmo é dores no peito. Poderá acontecer, ou poderá não acontecer.

Quando fores fazer uma consulta de Reiki, não precisas contar a tua vida toda, mas poderás ser sincero sobre aquilo que procuras, os receios que tens até por aquilo que alguém te contou e assim o terapeuta poderá elucidar e tranquilizar-te sobre essas questões.

Temos o quarto princípio Só por hoje, trabalho honestamente, que nos ajuda a enquadrar uma ética correta na nossa prática, além também do Código de Ética da Associação Portuguesa de Reiki.

Vale a pena usufruir de uma consulta de Reiki por completo, sem ter que testar o terapeuta.

Cansaço extremo depois de muitas sessões de Reiki

Após fazermos muitas sessões de Reiki podemos sentir um cansaço extremo, dores ou uma incrível sonolência. Não tem a ver com Reiki, a energia, mas sim com o trabalho realizado.

Temos dias em que podemos fazer seis sessões de Reiki, independentemente de serem voluntariado ou prática profissional, mas temos outros dias em que fazer até duas sessões poderá ser incrivelmente difícil e isso trará um cansaço extremo e debilitante.

Porque podemos ter um cansaço extremo ao realizar sessões de Reiki

Sempre que realizamos uma sessão de Reiki a alguém, há uma comunicação energética, ou seja, a questão da pessoa poderá ser sentida consciente ou inconscientemente e poderemos ter algumas reacções menos boas com essa comunicação.

Isto é algo que acontece entre todos nós, mesmo no nosso dia-a-dia e com qualquer pessoa, mas claro que numa sessão de Reiki há um envolvimento maior, uma atenção maior às questões e, por vezes, este tipo de comunicação poderá ser pesado, exigente e trazer-nos cansaço extremo, sonolência, dores de cabeça, ou mesmo sensação de corpo quebrado. Umas vezes no próprio dia, outras no dia seguinte.

Isto acontece pois é feito um grande esforço para a energia fluir para a pessoa e também para nos limparmos de alguma energia densa que esteja a ser trabalhada. Todo este processo, poderá ter um parte consciente, mas tem também muito de inconsciente. Então, há um grande esforço que não compreendemos que estamos a fazer e se, por acaso, no mesmo dia, surgirem muitas pessoas com questões igualmente desafiantes, o resultado poderá ser o de um cansaço extremo.

Como evitar ou tratar a sensação de cansaço extremo nas sessões de Reiki

Por vezes não há como evitar esse cansaço, mas podemos sempre observar algumas indicações:

  1. O nosso tipo de energia

    Que tipo de energia consideras que tens e de que forma sentes que a perdes? Por onde? Conhecer estas características irá ajudar-te muito em todo este processo para lidares com o cansaço extremo.

  2. A nossa atenção

    Onde colocas o esforço da tua atenção? Queres tentar sentir, perceber o que a pessoa tem? Isso faz-te sentir cansado? Esta pode ser também uma razão para um grande desgaste.

  3. O autotratamento

    O nosso autocuidado é importante, em primeiro lugar, por estarmos a cumprir os cinco princípios e o Só por hoje, sou bondoso. Cuidar de nós mesmos é um ato de bondade, de autoestima e irá auxiliar-nos a fazer crescer a nossa resiliência.

  4. Receber Reiki de outros

    Mesmo um voluntário ou terapeuta de Reiki, deve receber Reiki de outros praticantes. Isso irá auxiliá-lo a limpar-se e fortalecer-se interiormente. Não é qualquer tipo de sinal de fraqueza, mas sim de grande sabedoria. Se costumas fazer muitas sessões de Reiki, lembra-te que há sempre energia que fica depositada.

Poderás ler dicas úteis sobre os tratamentos de Reiki e alguns dos seus efeitos no livro dedicado à terapia – Reiki Guia do Método de Cura.

Limpeza energética com o nível 2 de Reiki

Se pretendes fazer uma limpeza energética a ti mesmo e tens o segundo nível de Reiki, então poderás fazer através de duas perspetivas – os símbolos e as técnicas.

Como fazer uma limpeza energética

No nível 2 de Reiki aprendes ferramentas muito importantes, como o uso dos símbolos. Neste nível, trabalhamos três símbolos que nos trazem formas de trabalhar as questões e energias através de outros ângulos e por vezes até mais rapidamente.

Podes fazer a tua limpeza energética de nível 2 de duas formas muito interessantes, mas que requerem o teu empenho e atenção

  1. Através dos símbolos de Reiki

    O Seiheki, o segundo símbolo, será o mais apropriado para uma condição de limpeza. Assim, imagina o teu corpo vazio e no seu interior um grande Seiheki, como se enviasse toda a energia densa para a Terra, através do enraizamento.
    Podes ainda visualizar o Seiheki em cada um dos lados da tua aura, para limpeza também.

  2. Através das técnicas

    Em primeiro lugar experimenta fazer o banho seco e chuva de Reiki.
    Depois, podes aplicar a técnica Tanden Chiryo para desintoxicares. Por exemplo, coloca a tua mão esquerda no tanden (abaixo do umbigo) e a mão direita no mesmo local exato mas nas tuas costas. Caso esta técnica seja um pouco complicada pela mão nas costas, poderás aplicar o Heso Chiryo, que é o dedo médio da mão esquerda no umbigo.
    Coloca a tua intenção de desintoxicação das energias densas e deixa Reiki fluir livremente, pelo menos 20 minutos.
    Promove o teu enraizamento e visualiza todas essa energia a ser escoada ainda mais rapidamente pelo enraizamento.

Porque fazer uma limpeza energética e com que assiduidade

O nosso cuidado e limpeza energética são necessários enquanto praticantes de Reiki, é mesmo como escovar os dentes. Todos os dias interagimos com a energia uns dos outros e das coisas. Nem sempre essa energia está na sua melhor vibração e como tal, pelo menos ao final do dia, devemos ter o cuidado de nos observar e limpar. Experimenta também fazer este tipo de limpeza com os cinco princípios, ou seja, sente essa vibração de dentro para fora a limpar-te em cada princípio.

A limpeza energética traz-te sempre uma elevação vibratória e para a manteres, é mesmo mudando o teu padrão de pensamento que o conseguirás fazer com maior facilidade.

Vestir de preto na prática de Reiki

Cada pessoa tem o seu gosto de vestuário e vestir de preto na prática de Reiki será que tem algum tipo de problema ou não?

Os vários mitos de vestir preto ou mesmo usar objetos ou pinturas de preto

Cada sociedade tem um olhar diferente sobre o código de cores e a sua representação na indumentária. No Japão vemos os homens vestir de preto ou de azul escuro, são imensos e imensos, uma multidão gigante que vai assim trabalhar todos os dias, assim como muitas mulheres. Os quimonos no tempo do Mestre Usui eram pretos, cinzentos ou de tons escuros. Os quimonos coloridos eram muito dispendiosos e apenas usados em determinadas circunstâncias. Vestir de branco em algumas culturas orientais é sinal de luto. Alguém faleceu e o luto é feito de branco.

No ocidente, vestir de preto é elegante, ou dependendo do vestuário poderá associar-se a movimentos góticos, a tendências musicais ou até movimentos espirituais com conotação negativa. Assim, na sociedade ocidental, o preto é algo de normal, mas dependerá do tipo de apresentação que tenha, o que levará os outros a pensar positivo ou negativamente e a “etiquetar” a pessoa.

Vestir de preto pode ajudar-nos a sentir invisíveis para os outros e poderá ser bem assim, pois é um tom que chama menos a atenção e não estimula tanto a vista. Mais do que os outros, na verdade, esta invisibilidade é para nós mesmos, pois somos nós os primeiros a sermos “afetados” e a da interpretação à cor que vestimos. Então somos nós que nos sentimos brilhantes vestidos de branco; ou ocultos, elegantes, vestidos de preto; ou irradiantes quando vestidos de vermelho ou laranja.

Por vezes pensa-se que o vestir preto irá bloquear o que os outros possam ver ou sentir da nossa energia. É um grande mito e absolutamente errado, não há qualquer cor que bloquei qualquer tipo de comunicação, a não ser que a pessoa pelas suas crenças se sinta bloqueada.

Vestir de preto ao aplicar Reiki a alguém – compreender os vários lados da questão

Como já vimos anteriormente, nós mesmos é que criamos um julgamento sobre nós próprios pelas cores que vestimos e, curiosamente, a minha filha costuma dizer “uma pessoa não é aquilo que veste”. No entanto, quando vamos aplicar Reiki a alguém, ou até mesmo só cuidar de alguém, precisamos ter em conta o outro lado. É quase como estarmos atentos a um efeito psicológico que podemos causar, pela aparência.

Pensando assim, com certeza que quererás apoiar a tua boa prática com um reforço psicológico positivo, então, o uso de cores claras ou tons neutros, pode ajudar a pessoa a serenar, a estar mais confortável e confiante. É claro que há roupas mais escuras com padrões ou tons mais escuros que também fazem o mesmo, ou seja, é mesmo necessário alguma sensibilidade e pensar que não estamos apenas para nós, mas também para o outro.

Tem também atenção a fios e anéis que possam levar a pessoa a ter uma interpretação errada de ti. Claro que devemos andar como gostamos, mas novamente tem que se frisar que numa prática de cuidado ao outro, estamos também para o outro.

Vestir de preto num curso de Reiki

O código de vestuário em cada curso de Reiki está unicamente dependente do Mestre. Há quem goste muito que todos vão vestidos branco, há quem não tenha qualquer tipo de código para vestuário.

Nos cursos em que cada pessoa vai vestida confortavelmente como gosta as coisas correm serenamente porque ninguém está desconfortável por ter que estar vestido como não gosta. Nestes casos, podemos sempre pensar se realmente fará sentido estarem todos vestidos de branco? O branco representa um estado de pureza, para nós ocidentais, era a roupa das virgens, por exemplo, no entanto, também não adianta estar vestido de branco se a mente não está nesse estado, ou seja, estar por estar, pode não adiantar nada.

Por isso mesmo, devemos tentar encontrar um caminho conciliatório. Quando for possível, cada um veste-se como quer e se sente bem. Quando for para tratar os outros, vamos tentar vestir-nos de forma a que possamos transmitir confiança e serenidade àqueles que atendemos.

Depois da sintonização é muito bom fazer autotratamento

Quer sejas Mestre de Reiki e faças uma sintonização a alguém ou quer sejas aluno e recebas uma sintonização será muito bom para ti o autotratamento. O autotratamento do nível que recebeste ou até do nível que estiveste a transmitir, poderá ajudar-te no processo de reforço do canal energético.

Porque é importante após uma sintonização, fazer o autotratamento

O autotratamento na prática de Reiki é muito diferenciado de nível para nível, não tanto em termos de posições, mas sim na sua aplicação. Claro que dependerá da forma como o Mestre de Reiki ensina este processo para o desenvolvimento da percepção dos símbolos de Reiki, mas de qualquer forma, será sempre uma prática distintiva pelas frequências que trabalha.

O autotratamento é uma técnica que te irá auxiliar a harmonizar e equilibrar todo o teu sistema vivo, isso significa que se com a sintonização do teu nível houve algo que sentiste ficar mais evidente ou que sentiste estar a provocar-te uma “crise de cura“, então há mesmo uma indicação que cuidares de ti mesmo um momento será muito positivo.

O autotratamento após sintonização do ponto de vista do Mestre de Reiki

Ao fazeres uma sintonização, quer seja a uma pessoa quer seja a vinte, há sempre um determinado desgaste energético, físico, emocional e mental, mesmo que não seja sentido. Isto porque é uma técnica exigente e que irá requerer de ti muito mais do que provavelmente poderás acreditar, devido à comunicação energética entre cada um.

Poderás realizar, por exemplo, o autotratamento do nível que estiveste a ensinar, pois foram essas frequências da energia que te estimularam algo ou levaram a determinada reação. Um Mestre de Reiki deve sempre praticar o autotratamento para manter os seus níveis energéticos no melhor estado possível, até como é indicado pelo código de ética da Associação Portuguesa de Reiki.

E porque não até experimentares fazer um autotratamento de 33 posições?

Se és Mestre de Reiki, o livro Reiki A Energia Universal poderá ajudar-te com algumas dicas práticas para os teus cursos e pós sintonização.

O autotratamento após a sintonização do ponto de vista do aluno

Se acabaste de receber a tua sintonização, o autotratamento poderá ser excelente te ajudar a confirmar as percepções que sentiste, para manter uma sensação positiva e energética de bem-estar ou mesmo para te auxiliar a equilibrar algo que tenhas a tratar.

A sintonização em cada nível de Reiki é diferente e poderá trazer reações diferentes a cada praticante. Ao realizares o autotratamento, estarás a cuidar ainda mais de ti e a firmares bem todo o resultado que a sintonização te traz.

Uma sintonização na prática de Reiki é uma técnica que auxilia o Mestre a proporcionar ao aluno uma forma mais direta de trabalhar com a energia, segundo o método Usui Reiki Ryoho.

O autotratamento Reiki passo a passo

O autotratamento Reiki é uma técnica, talvez a mais importante de todas na nossa prática, além da filosofia de vida. O autotratamento Reiki implica uma  tomada de consciência – a necessidade de sabermos cuidar de nós próprios.

Como aplicares o autotratamento Reiki passo a passo

Podemos dividir o autotratamento em quatro momentos distintos

  1. A preparação do espaço

  2. A nossa limpeza energética

  3. A aplicação do autotratamento

  4. O terminar o autotratamento

Não te preocupes se fores interrompido ou se tiveres mesmo que suspender o autotratamento que estás a fazer. Não há absolutamente problema algum, podes retomar depois, nas posições onde estavas. Para te voltares a concentrar, experimenta recitar os cinco princípios e se achares necessário, volta a fazer o banho seco.

Preparação do espaço

Podes aplicar Reiki a ti mesmo na tua sala ou quarto, não precisas de um espaço especial para isso. Há quem goste de usar incenso, mas lembra-te de manter um espaço arejado para que não fique fumo no quarto. Verifica se a tua cadeira é confortável ou se o sofá ou cama onde te vais deitar tem tudo o que possa necessitar para o teu conforto.

Isto significa que podes aplicar o autotratamento deitado ou sentado. Algumas pessoas têm problemas em ter os braços levantados, podem fazer até algumas posições deitadas e outras sentadas.

Limpeza energética

A nossa limpeza energética representa o momento em que nos purificamos. Podemos fazer esta “purificação”, um conceito muito japonês, através de três técnicas base – enraizamento, banho seco, chuva de Reiki. Nem todos os sistemas ensinam desta forma, portanto faz como o teu mestre te ensinou.

O autotratamento

O autotratamento e as suas posições podem variar de sistema para sistema, mas aqui fica uma descrição genérica das posições e o que podes fazer no momento anterior a aplicar as mãos:

Terminar o autotratamento

No final sente como estás, colocando as mãos em gassho. Se quiseres, volta a recitar os cinco princípios, deixando-os ecoar em ti. Podes tomar nota do que sentiste.

Se por acaso limpaste bastante energia no autotratamento, podes querer voltar a fazer o banho seco e mesmo a tomar um duche, para ajudar a libertar a energia.

A prática do autotratamento deve ser regular e também profilática. Não devemos apenas aplicar Reiki quando nos sentimos mal.

Page 1 of 121

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén